Educação Política e Jurídica

Postado por: Editor NJ \ 15 de fevereiro de 2013 \ 0 comentários

Divulgação
Primeiramente, devo agradecer o espaço à equipe Nação Jurídica. Não é todo dia que encontramos um espaço bem organizado e de bom gosto em que podemos nos expressar. Espero que esta seja a primeira de muitas colunas e que nossa parceria seja bastante longa.

Gostaria de iniciar com um tema que foge um pouco ao senso comum: a Educação Política e Jurídica dos brasileiros.

O que me chamou a atenção para este tema foi a notícia amplamente noticiada e lamentada nos rincões do Brasil de que Renan Calheiros foi empossado presidente do Senado, estando, assim, em terceiro lugar na linha sucessória da Presidência da República.

É sabido que o nobre senador é investigado em inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal por ter usado notas fiscais “frias” para justificar seu patrimônio e há suspeitas de que as contas de sua ex-companheira Mônica Veloso (com quem ele tem uma filha) seriam pagas por um lobista.

Em meio às reportagens sobre a posse, vejo uma fotografia de manifestantes segurando cartazes e gritando palavras como “safado” e “ladrão” para Renan enquanto este sobe a rampa do Senado. Um dos cartazes continha a seguinte pergunta: “Até quando o Poder Legislativo envergonhará o Brasil?”

Percebam, caros leitores, que esta é uma pergunta que permite muitas respostas. Entretanto, a minha seria a seguinte: “Até o momento em que os brasileiros aprenderem a votar”.
Este é um assunto polêmico, mas é forçoso admitir que se os deputados e senadores fazem o que fazem lá no Planalto Central, é porque alguém os colocou lá.

O que nos faz voltar ao assunto central desta coluna: a Educação Política e Jurídica dos Brasileiros.

Infelizmente, a Educação brasileira é uma catástrofe. Escolas sem a mínima estrutura, professores despreparados e descontentes, alunos perdidos e a sociedade calada fazem com que passemos vergonha nos rankings internacionais (isso porque somos a sétima maior economia do mundo!).

Agora, faça o teste: pergunte a alguém ao seu lado se ele (a) sabe a diferença do Senado para a Câmara? Posso apostar que nem a resposta mais simples (O Senado representa os Estados e a Câmara representa o povo) será dada. Pergunte se ele (a) sabe o que é uma Medida Provisória? Também acho difícil responderem.

Não digo isso para menosprezar ninguém, até porque não aprendemos isso na escola. E aí é que esta a questão, meus caros. Nós, operadores e estudantes do Direito, sabemos que questões como essa fazem parte do funcionamento do país! Um estudante do Ensino Médio, se depender unicamente do que é ensinado em sala de aula, sai dos bancos escolares sem a mínima noção do Brasil real, de seu funcionamento, das engrenagens que rodam esta grande máquina!

Aí está a causa de todo ano acontecerem tragédias como os deslizamentos de terra no Rio de Janeiro, as enchentes em São Paulo, as mortes em corredores de hospitais e tantas outras. O dinheiro que deveria ser usado para sanar esses problemas vai para algum paraíso fiscal nas Bahamas porque não temos controle de nada, e pior, nem sabemos como controlá-lo. E detalhe: sendo que este dinheiro é nosso!

Então, meus amigos, é por isso que defendo a Educação Política e Jurídica nas escolas. Para que tenhamos cidadãos conscientes de seu papel fiscalizador e conhecedores de seus direitos.

Finalizando, gostaria de deixar uma mensagem de esperança: no presente momento, a petição online pelo Impeachment do Senador Renan Calheiros está com 1.518.266 assinaturas. Apesar de não ser o instrumento ideal, é bom ver que 1% do eleitorado nacional ainda é capaz de se indignar e sonhar com um país melhor.

Colunista: 
Thiago Oliveira Vieira
Estudante de Direito da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Extrema-MG

categoria: , , ,

0 comentários

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.