Qual é a diferença entre o exame da OAB e o exame americano?

Postado por: Editor NJ \ 3 de janeiro de 2017 \ 119 comentários

No Brasil, o estudante de Direito, após cinco anos de faculdade e legalmente diplomado, só poderá advogar se for aprovado no chamado Exame de Ordem, exigido pela Ordem dos Advogados do Brasil - OAB. Para quem não sabe, este exame é controlado somente pela OAB, que não admite qualquer participação ou fiscalização do Estado ou do Judiciário e, muito menos, do Tribunal de Contas da União.

Criado em 1994, o exame já afastou do mercado mais de 750 mil bacharéis, apesar de seus diplomas serem reconhecidos pelo MEC e validados pela Lei 9.394/96 (LDB) e pela Constituição Federal. A OAB defende a prova dizendo que ela existe em outros países, inclusive nos Estados Unidos e, por isso, deve ser mantida no Brasil. Mas o que a OAB não diz é que existem distinções muito sérias, entre o que é feito aqui e o que é feito lá na América, por exemplo. (veja: http://en.wikipedia.org/wiki/Bar_examination).

Respondendo a pergunta “Quem administra o exame?” já se vê uma diferença gritante: enquanto que aqui, o exame é controlado por uma instituição privada – a OAB – sem participação nenhuma dos Poderes Executivo e Judiciário, nos EUA tudo é feito pelo Estado e sob o controle total do Judiciário, que trata a questão com mão de ferro, rigorosamente dentro dos princípios morais, éticos e constitucionais daquele país. Isto porque o advogado é essencial para a Justiça e o Judiciário é o cerne do Estado Democrático de Direito. Para os americanos, é inadmissível deixar o controle do acesso à tão importante função pública, nas mãos de um conselho de classe, cuja razão de ser são os interesses privados de seus associados!

Existem muitas diferenças, entre os sistemas de formação em Direto e de admissão de advogados, do Brasil e dos EUA e o assunto não se esgota aqui. Mas em essência, o jovem americano, depois de três anos de curso, tem que passar no Bar Examination, para ser admitido à bar – “barra” ou “portão”, que é o que separa o público dos advogados, promotores e juiz, num tribunal. “Ser admitido à barra” é poder atuar como advogado.

O Bar Examination reúne três exames administrados pelos Governos Estaduais e é supervisionado e controlado pela Suprema Corte, Corte de Apelação ou pelo Tribunal Superior. Isto é, a participação do Judiciário é plena e imprescindível. As dezenas de associações e ordens de advogados americanas não participam em nenhuma fase do processo. Aliás, elas são voluntárias e têm apenas funções sociais e de lobby. Não regulamentam a prática do Direito, não dão permissão para advogados trabalharem e não punem advogados!

Um dos exames é o Multistate Bar Examination – MBE, aceito na maioria dos Estados. São 200 questões de múltipla escolha, que devem ser respondidas em seis horas. Embora tenha mais questões do que o Exame da OAB, o tempo é suficiente porque a prova americana não tem “pegadinhas” ou perguntas feitas para induzir ao erro. As questões são elaboradas por Comitês Estaduais de Redação, formados por peritos nomeados pela Suprema Corte, reconhecidos nas diversas áreas temáticas do exame. Antes de serem selecionadas para o exame, as questões passam por um processo de revisão complexo, ao longo de vários anos. Isso mesmo: vários anos! Além da revisão rigorosa pelo Comitê Estadual, cada pergunta é revisada também por especialistas nacionais e, só depois de passarem com sucesso por todos os comentários e análises, é que são incluídas no exame!

O Multistate Essay Examination – MEE, feito obviamente em outro dia, é uma prova discursiva de 9 questões, devendo o candidato responder 6, num prazo de 3 horas. O interessante é que, para fazer a prova, entre outras coisas, o aluno pode levar: dois travesseiros, uma estante para livros, um apoio para os pés e, veja só: um notebook com conexão à internet para ele baixar o exame e responder as questões via on line!

Os exames americanos são rigorosos sim, mas não são feitos para eliminar o candidato, controlar o mercado de trabalho ou auferir lucro. O aluno tem todas as condições para fazer uma prova justa, democrática e elaborada com transparência.

Uma prática que está sendo considerada como tendência nos EUA, é o que já ocorre no Estado do Wisconsin. Lá eles praticam o Diploma Privilege (Privilégio do Diploma) que é justamente o reconhecimento do Diploma do bacharel, dispensando-o do Bar Examination. Em New Hampshire, desde 2005, o Daniel Webster Scholar Honors Program, dá uma certificação que também dispensa a exigência dos exames.

Na América, ao contrário do que ocorre aqui, não há suspeitas sobre a lisura dos exames. A correção é feita dentro dos mais elevados padrões de legalidade e transparência pelos Comitês de Examinadores, também nomeados pela Suprema Corte. É um sistema estruturado para dar seriedade e excelência ao processo, focando a qualificação do candidato, dando-lhe uma pontuação e não reprovando, pura e simplesmente.

Em resumo, podemo dizer: Nos Estados Unidos, os exames são elaborados, aplicados e corrigidos pelo Estado, sob a vigilância e controle constitucional do Judiciário e com o reconhecimento, pelas “OAB´s” de lá, de que somente o Poder Público detém a soberana função de qualificar, avaliar e habilitar um estudante para a profissão de advogado! No Brasil, é o contrário: a OAB, um conselho de classe, com interesses privados, afirma ser a única que pode qualificar, avaliar e habilitar os advogados – já que não reconhece o diploma do bacharel em Direito -, atropelando as prerrogativas constitucionais do Estado/MEC, impõe aos bacharéis um Exame elaborado, aplicado e corrigido somente por ela, não admitindo a participação do Judiciário no processo e não aceitando que o Tribunal de Contas da União controle e fiscalize as suas contas! Uma situação, no mínimo, estranha, não é?

Diante disso tudo é razoável que se pergunte: Qual dos dois sistemas atende aos princípios da boa fé, da razoabilidade e do bom senso? Em qual dos dois sistemas há indícios de inconstitucionalidade?

Fonte: Oduvaldo G. Oliveira - Jornalista (reg. 1659MT-DRT/MTE)

categoria: ,

119 comentários:

  1. eu creio que um sistema mais rigoroso atende a uma qualificação profissional maior! já que os advogados doutores das classes trabalham com os direitos e garantias "individuais" da parte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também concordo com o Rafael Veras, o texto foi muito parcial e deixou de mencionar o fato de que muitos se formam sem saber de nada e acabam jogando na lama todos os profissionais que dão duro para aprender e prestar bons serviços a população!

      Excluir
    2. Interessante... o texto afirma muito bem o rigor americano na aplicação do Exame estadunidense, contrapondo à uma possível desordem no Exame brasileiro, todavia, a bagunça instaurada pela demasiada abertura de cursos sem qualquer critério e fiscalização, jogando milhares de acadêmicos despreparados em nosso país, isso o texto não cita não é? Digo e repito, o problema dos "adevogados" brasileiros, não está no Exame de Ordem, mas sim naquilo que ocorre nos 5 anos anteriores à sua realização pelo estudante!!!

      Excluir
    3. Só um otário pra não enxergar que o EXAME DA ORDEM no Brasil é o maior golpe da história. Com exame ou sem exame, sempre haverá os maus profissionais, aqueles que não tem o dom e nem o talento para tanto. Essa desculpa de separar o joio do trigo por uma prova... é uma grande PIADA.... e de muito mal gosto. Não vai ser uma prova que vai dizer quem é bom advogado ou não.. ISSO QUEM VAI DIZER É A EXPERIÊNCIA DE VIDA PROFISSIONAL. Então pra que fazer um curso de 5 anos.. se você pode aprender tudo em 3 meses de cursinho???? Esse mercado está dando um lucro bom!! Observe o nível de perguntas do X exame com o XI. É gritante!!! Isso prova que o exame é feito pra reprovar.. LAMENTÁVEL.

      Excluir
    4. Olá, o Exame de ordem é simples e objetivo, onde você necessita ter um conhecimento mínimo para passar, caso não consiga não esta apto para advogar, atrapalhando a vida de pessoas simples que confiam nos serviços prestados pela classe, assim como atrapalhando o andamento do judiciário, agora alguém argumentar que pode-se absorver tal conhecimento em 3 meses de cursinho, desde de doutrina a letra da lei, a pessoa deveria estar na NASA. rsrs.

      Excluir
    5. eu acredito que consigo

      Excluir
    6. Exame da Ordem é golpe?? Isso é desculpa de quem não tem competência para passar ou você realmente você acredita que eles ganham mais dinheiro com a inscrição para realizar a prova?

      Excluir
    7. Nunca entendi o porquê do exame da OAB se nenhuma outra profissão (além de contador, pois, há pouco tempo o CRC também resolveu adotar essa prática) exige uma prova para o exercício profissional. Veja as razões, pelas quais, esta prova não deveria existir:

      - a maioria dos curso não exige provas para o exercício da profissão;

      - o mercado já seleciona os melhores profissionais;

      - a OAB e a justiça já punem os maus profissionais;

      - não há exigência legal para esse exame;

      - uma prova não é capaz de medir a capacidade, conhecimento e ética de um profissional;

      - é injusto porque o sistema privilegia quem tem mais tempo para estuda e estuda nas melhores faculdades;

      - virou um mercado, no qual a OAB e cursinhos, ganham muito dinheiro;

      - é uma forma de exclusão, tendo em vista que o curso de Direito foi o primeiro curso de nível superior criado no Brasil e a elite da época não queria que os pobres se formassem em Direito e fizessem parte do poder legislador do país.

      Excluir
  2. Realmente o exame da OAB é bem cruele a OAB tem isso como uma fonte de renda... Agora convenhamos, é só estudar um pouquinho que passa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, se identifica, já que é pra defender esse desastre faça como o Rafael Veras que não deu sua opinião anonimamente!

      Excluir
    2. Vc também rapahhh!!! Se identifique!!!!

      Excluir
    3. Perfeito!!! É só estudar um pouquinho que passa, metade na primeira fase e 60% na segunda... isso é pra no máximo duas tentativas, fora isso, a preparação foi sim deficitária!!!

      Excluir
    4. Matéria totalmente parcial e tendenciosa. Pois quem determina a "situação" do exame da OAB é o próprio Estado, vez que o Estatuto da OAB é uma Lei Federal, a prova é aplicada por Instituto terceirizado e bem conceituado, visando realmente filtrar os bons profissionais, e mesmo assim não é 100% garantido que somente os melhores serão aprovados. No Brasil existem verdadeiros "botecos" que se dizem faculdades de Direito, enquanto nos EUA, não se pode criar cursos sem uma criteriosa análise do Governo. Em suma, a presente reportagem visa apenas apoiar àqueles que durante 5 anos não aprenderam muita coisa e querem ganhar dinheiro às custas dos cidadãos sem conhecimento, assim como a faculdade que o formou fez!

      Excluir
    5. "Agora convenhamos, é só estudar um pouquinho que passa!" NÃO É BEM ASSIM..... Estudar para passar em TÉCNICA DE INDUÇÃO A ERRO.!!? COMPLICADO

      Excluir
    6. Fernando Herrera, penso que é preciso um mínimo de discernimento e senso de justiça, antes de afirmar que uma matéria é tendenciosa ou parcial. Falar por falar, sem embasamento, sem dados, sem informações e coerência é típico dos tolos! Quer criticar? Faça-o! Mas com um mínimo de conteúdo e inteligência! Trata-se de uma pesquisa onde são comparados os métodos de elaboração e aplicação dos dois exames. São demonstradas a participação do Estado e do Judiciário em um, e a não participação no outro. O exame americano também é fruto de lei e no entanto é gritante a sua lisura, quando comparado com o exame da OAB! Tenho a lhe dizer que os seus argumentos são vazios e incertos, pra não dizer estúpidos, tentando enganar os incautos. Como tem a coragem de dizer que é Estado que determina a “situação” do exame da OAB, baseado no fato de que o Estatuto da OAB é lei federal? Não consegue alcançar com a sua inteligência que essa sua afirmação é uma falácia e que a OAB controla e manipula o exame, não permitindo qualquer ingerência do Estado? Não percebe que vc só diz que o “instituto terceirizado é bem conceituado, visando REALMENTE a filtrar os bons profissionais, etc e etc” apenas para tentar fortalecer o seu argumento e que isso é claramente sofista? A questão não é a competência do instituto! Não consegue perceber que afirmar que “existem botecos que se dizem faculdades” é só mais um argumento que não prova nada, não contribui com nada e apenas, faz coro com o discurso de que todos os bacharéis não aprovados são incompetentes e agiram de má fé ao tentarem se formar em uma faculdade-boteco? A questão não é a qualidade do ensino de direito no Brasil! Não percebe que, se é para fugir do tema da matéria, nós estamos diante de um problema social que precisa ser resolvido, seja pelo Estado, seja pela a OAB, numa atuação mais contributiva para a melhoria do ensino de Direito? Não percebe que, ao dizer, pura e simplesmente, que a minha reportagem só quer “apoiar os que não aprenderam muita coisa”, vc deixa claro que não leu com inteligência e perspicácia o comparativo que fiz e que afirma porque não tem argumento melhor? Acha mesmo que mais uma frase de efeito como essa que vc escreveu, é capaz de desconstruir uma pesquisa fundamentada, que apresenta todas as suas fontes? Penso que o único ponto verdadeiro do seu comentário é aquele que diz que “mesmo assim, não é garantido que somente os melhores são aprovados”. Está claro que vc faz parte dos piores, que conseguiram passar.

      Excluir
    7. Estudar um pouquinho, mínimo de confiança é uma droga. O exame é feito com técnicas de indução ao erro, o exame é feito p reprovar e nao testar conhecimentos básicos.

      Excluir
  3. os aprovados deveriam receber o valor da inscricao da prova de volta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, a cobrança da inscrição funciona como uma taxa. Como sabemos, a taxa é a cobrança pela prestação e para custeio de determinado serviço. Se não houvesse, como custear essas despesas? Abraço!

      Excluir
    2. É com essa "taxa" abusiva que a instituição tem mantido o Exame em suas mãos e resiste em transferi-lo para o Estado o seu real agente competente para realizar o referido exame, tendo em vista que o Advogado é Função essencial à Justiça (ou seja, ao Poder Judiciário, Poder este fracionário do Estado, conforme a teoria Montesquiana da Tripartição dos Poderes)

      Excluir
    3. 200,00 reais? Já fiz concurso muuuito mais complexos e elaborados que não tiveram esse custo absurdo! O mesmo preço de um concurso da MAGISTRATURA que contém 5 fases! Lembrando que quem se submete à prova está pleiteando uma carteira que lhe possibilitará trabalhar, em regra, quem está fazendo está sem DINHEIRO ou recebe pouquíssimo! É um absurdo o valor!!!!! Uma extorsão! Uma máquina de movimentação de dinheiro, já que a OAB não presta contas à ninguém...

      Excluir
    4. O "real agente competente", é o mesmo que deixa as questões do ENEM vazar ?
      O texto é muito bom mas não há como comparar os dois países o Estado aplicar exame de ordem no Brasil seria um verdadeiro caos. Para que dar mais uma atribuição ao Estado, se ele não cumpre as nem as que têm hoje.
      A OAB é uma entidade de classe respeitabilíssima, não percebemos escândalos de corrupção em suas aplicações, a reclamação de "pegadinhas" também não merece prosperar pois tais pegadinhas serão rotineiras em sua vida profissional , não mais como meros exercícios mas como casos reais que envolvem a liberdade ou o patrimônio de seus clientes.

      Excluir
    5. O que falta ao candidato ao Exame de Ordem é estudar mais e reclamar menos. Fazer o curso de direito de qualquer jeito qualquer um faz, aí depois quer pôr a culpa na entidade... pensamento pequeno viu...

      Excluir
    6. Tem cara ai que fala que fez concurso e tudo mais, mas não tem capacidade intelectual pra passar na prova da OAB, coitado, é mais um iludido pela "fábrica de bacharéis" e potenciais funcionários públicos que queria o governo... kkkkk

      Excluir
  4. O que vocês se esqueceram de mencionar: nos EUA a qualidade do ensino fundamental, médio e universitário nem de longe se compara com essa catástrofe educacional do Brasil. Aqui vemos muitos sujeitos se formarem cometendo erros absurdos de língua portuguesa. Não é o exame da OAB o problema, mas sim o ensino básico péssimo e o ensino universitário tosco, que criam bacharéis despreparados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo absolutamente!

      Excluir
    2. No Brasil o nível de educação é uma vergonha, a Universidade finge que dá toda a estrutura para o aluno e professor, o professor finge que ensina, o aluno finge que aprende e na hora de prestar um exame onde a avaliação não é feita pela instituição de ensino que estudou ou pelo Estado, aí fica complicado. A educação no Brasil é uma farsa!

      Excluir
    3. Perfeito, no Brasil reina a hipocrisia. Do governo, quando concede uma educação de qualidade ridícula e autoriza cursos aos milhares sem qualquer critério e regulamentação. Segundo, por estudantes que passam anos acreditando nesse "estelionato educacional" e depois vêm colocar a culpa no exame... Terceiro e não menos importante, hipocrisia da própria OAB, que não se impõe como órgão de classe sério e busca junto ao MEC o fechamento em definitivo desse balcão que se tornou o curso de Direito. Uma classe que não se respeito nem mesmo em sua formação, não conseguirá o respeito da população!!!

      Excluir
    4. Concordo com você. Não podemos comparar os dois países pois nos EUA não há tanta corrupção como nós temos aqui. Já pararam para pensar se o exame da OAB fosse elaborado e aplicado pelo Estado ? Iria se tornar uma bagunça pois sempre haveria o famoso "jeitinho brasileiro" para aprovação dos privilegiados. Podem reparar, a maioria das pessoas que não aprovam o Exame na OAB não passaram na prova e, por isso reclamam e querem dar um "jeitinho" de exercer a profissão sem passar na prova.

      Excluir
  5. Sem dúvidas que o Exame Americano atende aos anseios de um Estado Constitucional, prevalecendo um exame não classista e excludente, ao contrário, é feita uma avaliação rigorosa, justa e proporcional, onde o Estado tem a função soberana de qualificar como aptos ao exercício da função aqueles que são essenciais para o funcionamento do Poder Judiciário. Em um viés plenamente oposto é feito o exame brasileiro, condizente aos malefícios da corrupção e do enriquecimento abusivo de uma instituição classista que a cada dia defende mais os seus interesses e menos os anseios da coletividade!!!

    ResponderExcluir
  6. O problema do exame de ordem não é sua dificuldade. O problema todo está na educação brasileira. A baixa qualidade dos ensinos fundamental e médio, o alto preço dos livros, são obstáculos a educação de qualidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é uma mera justificativa, é consertar um mal com um outro, dá no mesmo, ficar apontando culpados não resolve nada, é fato comprovado que o Exame aos moldes que é feito é pernicioso e classista, o Exame deve permanecer, mas não de forma classista, todo o profissional deve estar apto a exercer sua profissão, mas no caso do Advogado é o Estado que deve fazê-lo, em razão de o Advogado ser função essencial à Justiça!

      Excluir
    2. Caro Rodrigo, respeito sua posição, e concordo quando você diz que o Estado deveria realizar o exame.
      Entretanto, passa solução do problema, além de substituir o ente que realiza o exame, deve-se investir na educação básica.
      Abraço!

      Excluir
    3. Verdade amigo, É IMPRESCINDÍVEL A MELHORIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA!
      Abraço!

      Excluir
  7. Alega a OAB que, a prova tem intuito de filtrar o mercado em prol da sociedade, oras se o exame tem esse objetivo, realize a prova com preco mais barato, porque 200,00 ta bem a quem de meras folhas contendo pegadinhas que nao somos treinados na faculdades!


    ResponderExcluir
  8. Corrigindo uma palavra do texto acima....#esta a quem...#

    ResponderExcluir
  9. Isso é só uma opnião isolada do escritor da matéria, pois na prática a tepria é outra. Estudei direito por cinco anos, e quando me formei, inscrevi-me no exame da OAB e não passei. No exame seguinte, passei na primeira fase, mas não passei na segunda, e com um recurso, fui aprovada. Nesse espaço de tempo, foi gasto uma quantia exorbitante, proviniente de escola preparatórias, apostilas, taxas de inscrições, um valor não material que foi gasto: o stress.
    Tudo isso é uma fábrica de dinheiro. Se você não cursou a sua faculdade fora do país, você não tem o direito de falar mal de outros paîses. Usar o wikipedia.com como fonte de referencia é um dos maiores erros, eis que esse site não é fiscalizado, e qualquer m pode editar qualquer matéria, induzindo o leitor a erro. Sejamos mais espertos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,embora eu não saiba quem é vc, me julgo no direito de responder ao seu comentário. Primeiro> não se trata de uma mera opinião de um escritor. Trata-se de uma pesquisa fundamentada, com a apresentação de todas as fontes, que são abertas à todos. Segundo> Vc mesmo reconhece que o exame da OAB é uma fábrica de dinheiro, o que por si só, já confirma a abusividade do sistema da OAB; Terceiro > Tentar desqualificar UMA das fontes (wikipedia)porque não seria fiscalizada não merece réplica. Isso porque a própria wikipedia indica as suas fontes, permitindo que o internauta mais zeloso vá mais fundo em sua pesquisa. Para construir o meu texto, acessei sites de diversas "oab" americanas, site da Suprema Corte Americana, site de diversos Estados americanos, tudo para complementar as informações que obtive na wikipedia. Então, digo eu, sejamos espertos em fundamentar nossas críticas com embasamento, discernimento e verdade.

      Excluir
    2. Caro autor... a premissa é básica, o curso nos EUA é levado a sério, em nosso país não! Simples assim...

      Excluir
  10. Não é possivel que bachareis em Direito podem ter deixado comentarios acima, como " a taxa é alta", "o exame é classista". Para se ter uma ideia que faz o exame nao é a OAB, mais sim a fundação Getúlio vargas. alguns de vocês ja se perguntaram quanto é a anuidade da OAB, é muita mais cara que 200 reais. Vamos parar de reclamar e começar a estudar..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí colega!!! Esse povo chora demais... kkkkkkkkkkk

      Excluir
  11. Você leu a matéria,e se leu foi um milagre você ter conseguido passar na segunda vez que fez, porque o autor justamente está criticando o exame da ordem...DAM.... coloque seu nome ai, para que eu nao erre em contratar os seus serviços... :)

    ResponderExcluir
  12. Só descrevendo minha experiência pessoal sobre o exame da OAB. Fiz o ENEM em 2007, e ganhei uma bolsa integral do PROUNI, para fazer o curso de Direito, e me matriculei no curso em uma faculdade sem tradição alguma e cujo curso sequer havia sido reconhecido pelo MEC. Estudei durante 05 anos, com a ajuda da bolsa integral do ProUni, nunca gastei com livros, só usava a biblioteca da Faculdade, durante todo o curso só gastei com transporte e com 02 VadeMecums. Nunca participei de Congressos pagos, cursos de Extensão pagos, somente os gratuitos oferecidos pela Faculdade/OAB/Outras faculdades. Nos dois últimos períodos do curso, fiz três provas da OAB, sendo que a primeira não passei na primeira fase, da segunda vez passei na primeira e fui reprovado na segunda fase. Fiz a terceira do ano, essa última prova da OAB do final de 2012, passei na 1a. fase e passei também agora neste início de ano na 2a. fase. Nunca tive dinheiro pra fazer nenhum curso preparatório, só estudei por conta própria. Contando assim, parece que foi fácil, mas não foi... A grande maioria das pessoas tem mais capacidade do que eu para passar na prova da OAB, mas o que falta é compromisso com os estudos... Muitos não querem deixar de lado temporariamente determinado assuntos, como baladas, viagens, exagero nas diversões e outras coisas que tiram o foco... Para atingir meus objetivos, deixei de lado muitas coisas, e estou ciente que carteira da OAB na mão, não significa sucesso instantâneo, a luta só continua...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns colega! Essa é a realidade. Um pouco de estudo, mesmo com as dificuldades. Tornam possível a aprovação. O bacharel em Direito sim (alguns eu diria) é que não busca sua aprovação. Acha que um curso feito de qualquer jeito em 5 anos vai garantir sua aprovação. A complexidade do meio jurídico requer pelo menos um esforço de sua compreensão. É preciso estudar mais, chorar menos...

      Excluir
    2. É isso ai meu caro, parabéns!
      A prova da OAB simplesmente escancara as deficiências do Ensino Jurídico no Brasil.
      Assim como você, eu também estudei meia boca e passei na prova da OAB, em minha segunda tentativa.
      Hoje vejo que sobreviver da advocacia é uma luta muita mais penosa do que a travada nos meus tempos de exame de ordem.

      Excluir
    3. estudei *em uma faculdade...

      Excluir
  13. Wikipedia e fiscalizado pelo mesmo diariamente automaticamente em busca de falhas e de falsas informacoes. Eles possuem programas avancados e eliminam rapidamente falsas informacoes sobre qualquer fato ou historias ali mencionadas. Portanto eu acredito no Wikipedia e o autor dessa material esta correto na sua defesa.

    ResponderExcluir
  14. Tudo bem que tem varios defeitos no exame da oab no Brasil, no entanto aposto que todos os revoltados deste posta são os que não passaram? pois realmente exige um conhecimento profundo! e ta cada dia pior o nivel dos candidatos, isso se prova com os numeros dos ultimos exames que não passaram mais que 16% do total de inscritos.

    ResponderExcluir
  15. Esse é o problema, por que o anonimato? O Exame da ordem é excludente sim. É tão excludente que jamais uma outra categoria profissional ousaria fazer algo parecido.

    ResponderExcluir
  16. R$200,00 é caro pra caramba! Mais caro que concurso de juiz!

    ResponderExcluir
  17. O exame é excludente e extorsivo, se aprende uma coisa na faculdade e é aplicado na maioria das vezes questões que até magistrados e juristas renomados teriam dúvida se acertariam, estamos falando de um estudante,desempregado sem acesso à doutrinas e não estar com o Dr. Google debaixo do braço, muitos que defendem o nefasto, sabem que é reserva sim, meu pirão primeiro, 99% dos advogados usam, atualmente cópias de petição(copiar/colar), tem uns que não corrigem nem os erros! Não sejam hipócritas! E ainda se borram da OAB!

    ResponderExcluir
  18. É um absurdo esse dominio de uma instituição sobre pessoas que cursaram cinco anos um curso,pagaram mensalidades altas, gastaram com livros, roupas, transporte alimentação, além de deixarem muitas vezes de participar do convivio familiar, para se dedicar aos estudos e no término de uma jornada árdua é proibido a exercer a profissão que escolheu e concluiu, se tornando refém da OAB e pagar caro pelo exame da ordem, que vai na contramão de tudo que se estudou, desrespeitando a Constituição Federal e o Ministério da Educação, que reconheceu os cursos de Direito como os demais cursos existentes no Brasil.A quem os Bacharéis devem recorrer e cobrar essa conta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pagou mensalidade alta porque foi enganado pelo "balcão de negócios"... eu paguei a minha também, e mesmo trabalhando ao mesmo tempo, tive um curso de qualidade e consegui minha aprovação na primeira tentativa. O errado é o MEC nessa história de ter autorizado estes milhares de cursos... e a OAB, conivente em não impor o fechamento desses balcões. Enquanto continuar essa bagunça, vai ter gente chorando, com toda a certeza!!!

      Excluir
  19. Sim, obviamente nos EUA é extremamente mais elaborado. Mas convenhamos que se não houvesse aqui, a OAB, ninguém estava nem aí.

    ResponderExcluir
  20. Mas com certeza no EUA não abrem faculdade de direito em sala de cinema, com aulas durante a madrugada e instituiçôes de ensino sucateadas e outras que visam apenas o lucro deixando o ensino de lado, ademais, com força de vontade e determinação, passa tranquilamente.
    Agora aqueles que defendem o fim do exame, são aqueles que não tem competência e querem que tudo caia em seu colo, mesmo com o exame existe profissionais que não merecem sequer o diploma muito menos a habilitação para advogar. Ao invés de criticar o exame, vamos nos preocupar em cobrar melhor ensino e comprometimento das instituições, o que com toda a certeza elevaria o número de aprovados, frisando que o curso de direito não forma advogados e sim operadores do direito, que subdivide-se em várias áreas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se todos pensassem da mesma forma colega, as coisas seriam melhores para nossa classe. Mas, infelizmente, não é isso que vemos. Parabéns pelo sóbrio comentário.

      Excluir
  21. Pra mim o texto perdeu a credibilidade quando ele diz que a OAB é um órgão de natureza privada. Daí se vê o tanto que o articulista entende do assunto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcus Vinícius, permita-me responder ao seu comentário. Penso que tentar desacreditar a matéria porque eu afirmei que a OAB é de natureza privada é um pouco exagerado, não é? Digo que a OAB é privada porque isso está claro no próprio Estatuto dela. Ela foi criada para defender os interesses dos seus associados (veja: associados!) É uma associação de classe e por isso, tem interesses dessa classe que são, obviamente, privados! Percebo que vc é daqueles que acredita que a OAB é um orgão "sui generis", como opinado por alguns juristas. Considero ingenuidade sua acreditar nisso. Os dirigentes da OAB se articularam no CN e conseguiram a aprovação dos Estatuto e foram agraciado pelo ministro do STF com a definição que não define nada, de que a instituição é "sui generis" . Conseguiram impor que a OAB tem essa especialidade e por isso não se equipararia aos outros Conselhos Profissionais e estaria, portanto, em condição superior etc e tal. Mas leia a matéria novamente e entenda que não se trata de apenas uma opinião minha e sim de uma pesquisa. Vá atras da informação e vc conseguirá ampliará a sua visão sobre o assunto. abraço

      Excluir
  22. Isso é bem a cara do Brasil mesmo. Como o Estado não liga para a educação ele repassa a tarefa. a OAB vai lá e pega o serviço. Com isso o Estado tem um responsável para "cuidar" dos bacharéis, ele lava suas mãos, finge que está tudo certo, e fica tudo a mercê da OAB. Simples.

    ResponderExcluir
  23. Inicialmente, cumpre esclarecer que a OAB não á uma instituição privada, como informado na notícia. A OAB é uma autarquia corporativa e possui personalidade jurídica de direito público. Também não podemos importar um modelo norte americano de verificação e "jogar" no Brasil. Há de se refletir que as situações jurídicas e políticas são totalmente diferentes. A começar pela divisão constitucional de competência dada por cada país, a estruturação do Estado e muitos outros fatores. É muito cômodo chegar comparando as coisas e impondo uma forma de avaliação totalmente diversa na nossa realidade social. Como bem frisado por um coelga, o nosso modelo de ensino é uma loucura. A nossa educação básica pública é uma vergonha e as nossas faculdades de Direito estão se multiplicando como coelhos. Não há qualquer seleção para a aprovação de pessoas em 95% dos cursos de Direito disponíveis. Claro que há problemas a serem sanados. Mas isso não indica que o exame da ordem é um fiasco. Pelo contrário. Entendo que se assim não fosse no Brasil, haveria uma banalização da categoria, que já foi muito mais respeitada do que é hoje. Imagina se não houvesse exame da Ordem?! Pessoas totalmente despreparadas lidando diariamente com, muitas vezes, direitos fundamentais de terceiros,e eternizando situações de injustiça. Sinto muito, mas não se pode criticar negativamente o exame da OAB. Precisa-se de críticas construtivas mais fundamentadas do que as expostas na nota da qual comento. Att, Ricardo Belfort.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Henrique Kraemer Spencer31 de maio de 2013 17:15

      Só para constar, os maiores responsáveis pela perda de respeito da categoria são os próprios advogados.

      Excluir
    2. Ricardo Belfort, permita-me responder ao seu comentário: O Estatuto da OAB declara que o seu objetivo é defender os interesses dos seus associados. Veja e confirme isso. A OAB, embora tenha as características apontadas por vc, prima pela defesa de seus associados e, por isso cobra anuidades etc e etc. Na verdade, é um lobo em pele de cordeiro! Peço que entenda que não estamos comparando sistemas constitucionais, estruturação de Estados, etc. O Brasil e os EUA são países bem diferentes sim. A matéria objetiva mostrar com maior ênfase que os conceitos de legalidade, direito, justiça, transparência e boa fé são bem diferentes quando se compara a aplicação dos exames. A matéria, sem falsa modéstia, revela o espírito pernicioso e classista da OAB de forma bastante incisiva. Em relação à sua frase que indica que a não existência do exame resultaria em "pessoas despreparadas lidando com direitos dos outros" não se sustenta pelo simples fatos de as páginas policiais trazerem advogados criminosos e porque os juízes estão cansados de petições mal elaboradas, mal feitas, Control C Control V, etc e etc. Vc bem sabe disso. Todos advogados aprovados e "qualificados" pelo Exame! Por outro lado, não seja autoritário não nos permitindo criticar a OAB! Sugiro que faça como eu e pesquise, compare, analise. É assim que se adquire um espírito crítico e inteligente. abc

      Excluir
  24. Aos anônimos que defendem a prova injusta da OAB, só tenho a dizer: Estudei a vida inteira em colegio particular, fiz uma faculdade particular, sempre estudei, tanto que terminei uma pós recentemente e estou pensando em começar outra. Passo em concursos e no entanto nao consigo a OAB. E ainda acham a prova justa?!

    ResponderExcluir
  25. Olha, eu já estudei no estrangeiro e fiz estudos sobre o exame americano e britânico na disciplina de direito comparado. Eu tenho conhecimento de muitos fatos aqui descritos pelo o autor sobre o "bar examination" americano. Eu digo: para passar na prova lá, o nível é beeem maior, no entanto o exame deles é realmente mais justo. Eu não vejo transparência nenhuma na prova daqui... Cobram respostas erradas (?!?) do candidato. Eu passei para segunda fase do X exame, mas tenho certeza que não vou passar, apesar de estar estudando 9 horas por dia. Sabe o motivo? Eles corrigem muito mal a prova da segunda fase. Tem muita lambança desnecessária

    E outra, a gente tem na cabeça que a educação americana é excelente... KKKK isso é o que a globo e o grupo abril vendem pra vocês. Lá não é esse mar de rosas não. A diferença é que eles atribuem aos melhores alunos as maiores oportunidades, os colocando nas "Ivy League"... Dão bolsas de estudo, mas a educação lá é paga. Talvez por isso nos temos a impressão que todas as faculdades de direito são como as de Yale, Princeton e Harvard... Pura ilusão.

    Estamos em um país que cuida do social (sic), e a prova da OAB é feita pela FGV defendendo interesses pra lá de duvidosos (reserva de mercado - oi?). Por outro lado, os EUA, como um país extremamente liberal, atribui aos órgão públicos a competência de realizar o Bar examination... Não que eu morra de amores pelo sistema político e econômico dos EUA, mas acredito que neste quesito eles estão mais evoluídos.

    Deixando claro que não sou contra o exame de ordem, mas acho que deveria ter um olhar melhor por parte do governo aos abusos que vem acontecendo. O exame poderia, sim, ser mais difícil, mas que não fosse tão cheio de erros e injustiças.

    Bem, minha opinião.

    ResponderExcluir
  26. E eu acredito que no final das contas,o mercado absorve os melhores. Não importa se você passou no 1° ou 10° vez que fez, bom que é bom tem seu lugar ao sol. O que mais vi no estágio foram advogados um tanto quanto incompetentes, e que depois o mercado fez questão de engoli-los. A vida é assim, a seleção natural escolhe aqueles que melhor se adaptam, independentemente deste exame.

    ResponderExcluir
  27. Não sou contra o Exame da OAB, sou contra a atual forma de realização do Exame, uma vez que, a OAB usa o Exame como fonte de renda, além de restringir o mercado de forma arbitrária.

    ResponderExcluir
  28. Sou a favor do Exame da Ordem. Sou a favor do exame para Médicos, Arquitetos, Engenheiros e demais profissões também. O exame não é nenhum absurdo, infelizmente nossas instituições de ensino, em sua maioria, são ruins. Deixar na mão do governo para que? Vide o ENEM, um exemplo de lisura e transparência, com problemas ano atrás de ano. Nosso governo tem dedo podre, corrompe tudo aquilo que controla. O exame é um filtro que deve ser mantido para elevar a qualidade de nosso profissionais juristas em todo o país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se fechasse metade desses cursos de fachada por ai e fizesse um processo seletivo decente para ingresso no ensino superior... o nível de aprovação já ia melhorar...

      Excluir
  29. Acredito que, se um sistema que tenha como objetivo comprovar a aptidão de um determinado segmento para o ofício, deve ser mantido. Pois quando o nível do requerimento do estudante apresenta comprovadamente declínio quanto ao que é necessário para a formação de um profissional adequado, a nação perde no fato de que poderia ter um profissional melhor, mas preparado, mas motivado, pois como podemos observar: nossos edifícios não duram nem 30 anos; pessoas morrem nos hospitais porque o médico é despreparado (salvo exceções); nossos políticos que nos representam são uma vergonha de tão rasos culturalmente falando; nossa sociedade precisa de mais rigor nas fases de admissão de certas profissões. Pois os médicos que já estão na meia idade questionam-se entre si dizendo: Quais serão os médicos que irão nos tratar, qual a qualidade desses médicos? Assim também na área do Direito, qual a qualidade que temos a oferecer?

    ResponderExcluir
  30. Não sou contra a realização da prova do OAB, porém vejo que este exame teria que sofrer inúmeras adequações para que possa se tornar justo e realmente avaliar o profissional que está prestes a atuar no mercado de trabalho e, não procurar eliminar o máximo de candidatos com questões incoerentes, que em nada podem avaliar.....

    ResponderExcluir
  31. O exame da OAB serve para filtrar os alunos estudiosos que levam o curso a sério dos vagabundos. Essa fiscalização deveria ser realizada pelo MEC, mas como no Brasil nada funciona direito, a OAB assumiu essa função para evitar uma catástrofe (maus profissionais no mercado de trabalho). Simples assim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CAROS COLEGAS NÃO EXISTE OS ESTUDIOSOS OU OS VAGABUNDOS COMO FALADO ACIMA,OS ATOAS SE FOREM VER SÃO MUITOS MAIS INTERESSADOS DOS QUE OS NERD´S.E OUTRA É UM CUMULO NO BRASIL VC ESTUDAR 5 ANOS EM UMA UNIVERSIDADE,FAZER UMA MONOGRAFIA DAQUELAS,GASTAR COM LIVROS E XEROX,PÓS GRADUAÇÃO E AINDA PAGAR $200,00 PARA PROVAR OU MOSTRAR SE VC É CAPAZ DE ADVOGAR?COLEGAS FORAM 5 ANOS DE CONHECIMENTOS E ESTUDOS NÃO 5 DIAS.CONTINUAR A ENGORDAR CONTAS BANCÁRIAS DA OAB E SEUS EXAMINADORES?ME FAÇAM MIL FAVORES COLEGAS ACORDAMMM ACABAR COM A PROVA DA ORDEM!!QUE IRÁ PROVA SE EU SOU CAPAZ DE ADVOGAR SERÁ MEUS CLIENTES QUE EU IREI REPRESENTAR,NÃO UMA PROVA!!

      Excluir
    2. Rapaz... nestas horas dou graças pelo Exame de Ordem... Se você não sabe sequer escrever, quem dirá advogar...

      Excluir
    3. O cara não sabe nem escrever, e quer provar na base do CAPS LOCK que os folgados da sala são mais interessados que os "nerds"...
      kkkk
      Cada uma!

      Excluir
  32. Logo, a solução não é a extinção do exame da OAB, mas uma reformulação em como esse exame de qualificação é aplicado.

    ResponderExcluir
  33. "Os exames americanos são rigorosos sim, mas não são feitos para eliminar o candidato, controlar o mercado de trabalho ou auferir lucro."

    Aqui no Brasil é preciso que o exame seja feito para eliminar mesmo, afinal nós temos por volta de 1200 faculdades de Direito, enquanto o restante do mundo tem algo em torno de 1100, conforme a fonte:

    http://guiadoestudante.abril.com.br/vestibular-enem/brasil-tem-mais-cursos-direito-todo-mundo-603836.shtml

    Seria insustentável se todos os bacharéis de Direito se tornassem advogados. O exame da OAB hoje serve como controle de mercado. Ao meu ver, queixas contra ele são feitos, em sua maioria, por quem teve grande dificuldade em passar ou nem mesmo conseguiu.

    ResponderExcluir
  34. Pelo que eu entendi o problema está no modo de como aplica ás provas,não importando se deve ou não continuar com o exame, mais convenhamos, se não existisse a prova, "vocês" gostariam de ser representando por uma pessoa que acabou de terminar a faculdade(onde alguns,passam por ajuda de outros, como a famosa "fila")tá certo que o exame têm suas "pegadinhas" na hora da aplicação e tá certo que têm alguns profissionais,que passam na prova( não sei como, ou por milagre ou quem sabe.)e mal sabe interpretar alguns art's,o grande problema é que o povo gosta de ver ás vantagens dos outros países,a onde só vê ás desvantagens no nosso,temos que ver o lado bom também e não só o pior, Lembrando isso é minha opinião.

    ResponderExcluir
  35. Que há melhoras a serem executadas no exame da OAB, tenho certeza disso, mas antes de pensar em tirá-lo da OAB e passar para o Estado aplicar, temos que ver um pequeno detalhe: Se o MEC não tem competência para aplicar um mero exame para o ensino médio, o que dirá um exame da OAB.
    Primeiro o Estado tem que ser competente e está longe disso, após pensar em assumir esse importante exame.

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. Respeito os colegas que tenham eventuais dificuldades e precisem de algum "preparo" extra para o exame, mas no geral, os 5 anos de graduação devem ser suficientes para a aprovação. No mais caros colegas, avaliem com franqueza se o curso que cada um tenha feito ou o seu próprio comprometimento com os estudos foram adequados e suficientes!! É muito fácil jogar para outros a responsabilidade para a OAB pelo índice de reprovação. Antes, culpe-se o "Estado/MEC" pela péssima qualidade dos cursos que ele autoriza e aprova. Quanto ao artigo em questão, não acredito no que li!!! Esse espaço é pequeno para rebater cada um dos absurdos contidos no texto desse artigo. Basta ler o primeiro parágrafo para se ver que o autor não entende do que fala, desconhece a Lei que regulamenta nossa profissão e desvirtuou totalmente a função da OAB. Comparar-nos aos americanos é o fim!! Nossos ordenamentos jurídicos são totalmente diversos, vivemos em realidades sociais, econômicas, culturais, históricas, totalmente diversas!! Estou a ponto de perder a credibilidade neste site.

    ResponderExcluir
  38. O Brasil tem mais escolas de direito que o mundo todo. Há uma extrema banalização do ensino, o que causa baixíssima qualidade na maioria dos bacharéis. O exame da OAB é extremamente necessário. Além disso, a Ordem é um órgão criado pelo governo há muito tempo, justamente para regular a atuação dos advogados. A mercantilização é fruto da baixa qualidade do ensino, não do exame. Se o ensino fosse bom, não haveria tanta gente de fora. Pode ser que haja o que evoluir no exame, mas isso não tira seu caráter fundamental. Escolas de direito formam bacharéis. Da mesma forma que juízes, defensores e promotores precisam de concurso, o advogado precisa de avaliação. Não é a vida de um advogado que está em jogo nessa profissão, mas sim a vida, a liberdade, as esperanças e os sonhos de quem confia neles.

    ResponderExcluir
  39. Bachareis Do Brasil Bachareis Do Brasil BACHAREIS COMPARTILHEM
    corrente do BEM** CORRENTE DO BEM
    http://www.youtube.com/watch?v=_TJ04rkAzUo
    A A PARTIR DE HOJE, TODOS QUE CURTIREM, PARA O MOVIMENTO FICAR FORTE, COMPARTILHEM, COMPARTILHEM COMPARTILHEM SEMPREEE, Att BACHAREIS DO BRASIL

    ResponderExcluir
  40. Que texto tendencioso. Vocês não têm vergonha de publicar isso não? Não precisa concordar com o exame de ordem, mas ao menos analise-o imparcialmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo Vasconcelos, poderia dizer onde está a parcialidade do texto? A proposta da matéria é comparar os dois sistemas, identificando a justeza de cada um. A questão é racional e lógica e temos que ter discernimento para saber identificar quais são os objetivos dos aplicadores dos exames.

      Excluir
    2. Como a maioria dos estudantes de direito, este também não sabe interpretar textos... rs

      Excluir
  41. É o único lugar do mundo que para exercer uma profissão você tem que ser aprovado por seus futuros concorrentes.

    ResponderExcluir
  42. A diferença é que nos EUA os egressos são competentes, por aqui a grande maioria (que são os reprovados) está mais perto de um bando de burro e analfabeto, do que estudante de ensino superior... estudante de direito é preguiçoso, não gosta de ler, não gosta de fazer prova e depois de 5 anos quer passar na OAB? kkkkkk... é pra rir...

    ResponderExcluir
  43. A pessoas faz um curso de Direito em uma faculdade de esquina, não estuda e ainda quer ser aprovada.

    ResponderExcluir
  44. Tendencioso, manipulador, o articulista chama a OAB de instituição privada. Falta honestidade intelectual, no mínimo!

    ResponderExcluir
  45. Essa matéria foi absurdamente tendenciosa e sem fundamentação lógica alguma. Sem não é a OAB já tinha virado bagunça. O exame da OAB não é nenhum bixo de sete cabeças, passei de primeira, mas mesmo sim não tivesse passado ainda estaria defendendo.

    ResponderExcluir
  46. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  47. O texto trata de assunto um pouco melindre; pois, como não se questionar sobre o valor da inscrição cobrado pela Instituição? Como não se perguntar porque uma classe representativa detém o poder sobre o exame que será o passaporte para a sonhada nobre profissão?
    Sinceramente, sou ainda um acadêmico do referido curso e creio um profissional em construção; defendo, particularmente, a aplicação do exame, vez que não poucas vezes vimos profissionais desqualificados exercendo um ofício que representa o que é justo e, certamente, como representar a justiça sem a devida qualificação e competência que é requisito necessário para ser um defensor...
    Bem verdade é que, o texto, suscita dúvida quanto ao método que tal exame é aplicado pois, numa leve comparação mostra ele a remota diferença nos dois países quanto a aplicação do certame; onde em um, o governo é o responsável pela elaboração do exame e, digamos, representa achegado o que pode ser considerado justo; e, no outro, temos um governo distante e omisso frente aos abusos de uma classe representativa quanto a cobrança aos bacharéis que se querem fazer advogados...
    Mas há que ponderar os pesos e as medidas pois, como muitos colegas acima já citaram, as diferenças educacionais, politicas e sociais são bem diversas em nosso país... Onde neste, a administração se faz negligente quanto à educação de seus jovens e vagarosa frente a politica de formação de seus futuros profissionais -sejam eles de qual ramo forem-.
    Verdade é que, há, realmente, os que se desejam formar-se doutores ou doutoras; mas, não fazem os esforços necessários para desempenhar tal oficio como se deve; tornam-se profissionais rasos e sem estrutura e acabam por desonrar a classe, pelo fato de se fazerem bacharéis sem nenhum estudo sólido e concreto...
    Estudam os cinco anos como ao deus dará e, na hora de fazer valer os conhecimentos granjeados numa prova que, é o minimo necessário para avaliar a instrução acadêmica, pois, seguramente, será ela a bússola da profissão; não conseguem aprovação e ficam a culpar, sua reprovação, naquilo que é senão fruto de seu insucesso e falta de dedicação...
    Creio que uma análise dos modos de sua aplicação seria profícuo, todavia, repudiar aquilo que é senão mais do que o adequado meio para possibilitar competente causídico num mercado de trabalho sério e implacável como é o nosso; não seria atitude sensata, vez que, no sistema capitalista, só os melhores e mais bem preparados vencem.

    ResponderExcluir
  48. Esclarecendo que o repudio a que me referi não foi em relação ao texto, mas sim a alguns comentários que acham que o exame não é senão um meio de arrecadação capitalista.
    O texto deixa bem claro sua critica quanto a forma que os exames são ministrados nos distintos países.

    ResponderExcluir
  49. Querem ver a OAB mudar de ideia da exigência de aprovação no exame para obtenção da carteira de advogado? O governo baixar uma lei OBRIGANDO QUE A INSCRIÇÃO SEJA GRATUITA. Aí essa palhaçada acaba rapidinho. Porque será bem mais interessante para ela que o bacharel seja aprovado e garanta logo o pagamento da anuidade. Pronto, falei.

    ResponderExcluir
  50. pq todos reclamam da oab,sera que vcs nao veem que nao é so bachareis em direito que fazer a maldita prova?medico,contador.....e tantos outros que fazem,nós que queremos exercer a profissao que mostre seu valor e passe no exame do conselho da sua classe,vcs ficam chorando ai por causa de uma prova, quem nao gosta de fazer o exame deve ser um pessimo advogado,contador,medico,pois tem medo que o exame constatem sua burrice,larguem de preguiça e vao estudar e pare de reclamar pois se vcs quiserem se destacar dos outros passem pela peneira e ganhe seu numero no conselho,pois sem esforço nada chega de graça ate vcs,eu digo isso pois futuramente vou fazer faculdade e tenho plena consciencia de que no final serei testada e se eu for deveras merecedora passarei caso contrario nao ficaria reclamando igual a vcs.

    ResponderExcluir
  51. Querido autor,
    Apenas para lembrá-lo que o Brasil também fica na América (continente). O que ocorre é que o Brasil pertence à América DO SUL e os Estados Unidos à América DO NORTE.
    Então quando você fala "Na América, ao contrário do que ocorre aqui" a frase fica totalmente sem sentido.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  52. Aqui é esquisito. Muita exigência pra pouca coisa. Onde já se viu ter que fazer curso pra passar na prova da ordem? Por que pagar uma anuidade tão cara? O estagiário paga, o advogado e o escritório! Fiquei sabendo dessa do escritório por um professor. Absurdo. O engraçado que o governo não faz nada, aceita. Vê se interessa ao MP investigar isso aí? Nada. Pq o MP não se importa com coisa Importante! E vamos ficar nessa sacanagem.

    ResponderExcluir
  53. nos temos outras entidades de classe controlada pelo estado "autarquias" dos contadores, dos engenheiros, dos médicos, etc. ficam muito aquém da OAB que realmente funciona, e tem de ter independência para esguardar o direito até contra o estado ou a justiça. Claro que os americanos nos matam de inveja em seriedade, leis, trabalho e justiça, mês neste caso de independência da classe de advogado quem mata eles de inveja somos nós. Temos de admitir que temos competência para gerir negócios sérios sem o dedo do estado, este espírito pode nos levar a uma vida muito melhor.

    ResponderExcluir
  54. Saiba como passar na prova da OAB,Acesse esse LINK:http://bit.ly/passar-na-oab

    ResponderExcluir
  55. Saiba como passar na prova da OAB,Acesse esse LINK:http://bit.ly/passar-na-oab

    ResponderExcluir
  56. Saiba como passar na prova da OAB,Acesse esse LINK:http://bit.ly/passar-na-oab

    ResponderExcluir
  57. Saiba como passar na prova da OAB,Acesse esse LINK:http://bit.ly/passar-na-oab

    ResponderExcluir
  58. Saiba como passar na prova da OAB,Acesse esse LINK:http://bit.ly/passar-na-oab

    ResponderExcluir
  59. Saiba como passar na prova da OAB,Acesse esse LINK:http://bit.ly/passar-na-oab

    ResponderExcluir
  60. Para acabar com o exame de ordem no Brasil é simples, mande fechar todas as faculdades particulares ou só aquelas que a OAB não recomenda. Pronto, não há mais que se falar em exame de ordem porque a ordem não recomenda quase nenhuma instituição particular de ensino de direito. Daí há uma pseudo qualificação, mas tudo é assim nos nossos dias. Vejam o exemplo de nossos parlamentares....

    ResponderExcluir
  61. A matéria é sim tendenciosa. Compara coisa diferente. Culturas diferentes. Estados diferentes.Não dá para comparar os Estados Unidos com o Brasil.
    Para se manter o Estado Democrático de Direito, a Constituição Federal incluiu em seu art. 133 que o Advogado é essencial à prestação jurisdicional.
    Por outro lado, quem entra na Faculdade de Direito já tem conhecimento que para Advogar terá que fazer o Exame de Ordem, que não é tão difícil assim. Basta ter estudado que não apresenta qualquer impedimento ao exercício da profissão.
    Na Lei diz que não há subordinação entre o Advogado e qualquer Autoridade quando no exercício de sua Profissão. Ora, todas as Autoridades têm de passar por concursos dificílimos, hoje seus assessores e auxiliares que são seus subordinados também têm, porque aquele que não lhe é subordinado não quer passar pelo Exame de Ordem.
    Não quer passar, não vai ser Advogado. Fácil assim.
    Só reclama quem não tem capacidade de passar, ou aqueles que querem se aparecer como defensores dos incapazes.
    Simples assim.

    ResponderExcluir
  62. Parabéns pela inteligente reportagem! A oab no BRASIL é imperialista não presta contas a ninguém, nem mesmo a DEUS. A Presidente da República deveria verificar esta "ordem".

    ResponderExcluir
  63. DENÚNCIA GERAL PEDINDO MUDANÇAS NO EXAME DA OAB

    A/C DA AGU(ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO), TCU( TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO), PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA, MINISTROS DO STF E MINISTROS DO STJ, RELATIVO A TODOS OS TEXTOS ABAIXO:

    CARTA ABERTA A PRESIDENTA DILMA SOBRE SEU PEDIDO DE AFASTAMENTO PELA OAB:

    Presidenta Dilma, Vossa Excelência, nunca fez nada para acabar com o Exame da OAB, mantendo a chaga social contra os milhões de bacharéis que estão desempregados, tendo seus sonhos dilacerados por não exercer a profissão com dignidade, mesmo depois de formados, os quais são impedidos pelo exame da OAB/FGV, certame este, que reprova mais de 90% dos inscritos.
    A OAB sempre manteve o seu poder acima do ESTADO(CF/88), para ditar regras próprias que são de seu interesse de cunho particular. O exame da OAB/FGV, já arrecadou mais de 1 bilhão de reais desde 1994, quando foi implantado, que nunca pagou imposto e nem tampouco prestação de contas ao TCU.
    A OAB que Vossa Excelência, sempre deu atenção e apoiou a manutenção do seu exame,esta entidade protocolou ontem(28/03/2016), seu pedido de AFASTAMENTO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA na Câmara de Deputados e está tomando todas as medidas jurídicas cabíveis para tirá-la do poder.
    Ainda há tempo de fazer algo pelos Bacharéis em Direito, que clamam por justiça, acabando com o exame da OAB. Ressaltando que o curso de direito, é o único do nosso país, que mesmo o cidadão já formado de posse de um diploma universitário, tem que submeter ao EXAME OPORTUNISTA DA OAB, se quiser ingressar no mercado de trabalho. Infelizmente o Exame da OAB, reprova em massa mais de 90% dos que se inscreve neste certame.
    _____________________________________________________________________________________________________
    1) PEDIDO DE MUDANÇAS DO EXAME DA OAB
    Para: PRESIDENTA DILMA, PREFEITOS/VEREADORES, GOVERNADORES, DEPUTADOS FEDERAIS E ESTADUAIS
    1)ENFOQUE NAS MATÉRIAS DE ÉTICA E ESTATUTO DA OAB, QUE IRÁ COMPOR 50% DA NOTA NECESSÁRIA NA PRIMEIRA FASE DO EXAME DA OAB. (Pedimos tratamento de igualdade com o novo curso de direito, denominado "Tecnólogo em Direito", que tem duração de apenas dois anos, criado pelo MEC, com a aprovação da Presidenta Dilma). Inclusive o novo curso de direito(Tecnólogo em Direito), já foi publicado no Diário Oficial da União.

    2) EXIGÊNCIA NO CONTEÚDO DA 1ª FASE, apenas das matérias de Direito Penal, Direito Civil e Direito Constitucional.(Previsão também no novo Curso de Tecnólogo em Direito, criado pelo MEC, com aprovação da Presidenta Dilma).

    3) FIM DA 2ª FASE DO EXAME DA OAB

    4) GRATUIDADE GERAL DO EXAME DA OAB

    5) DISPENSA DO EXAME DA OAB PARA QUEM POSSUI
    PÓS GRADUAÇÃO EM DIREITO E RESIDÊNCIA JURÍDICA DE NO MÍNIMO DE 1 ANO.

    6) Tributação sobre os valores arrecadados sobre as taxas dos exames da OAB.(O Governo Federal, ao invés de aumentar impostos, deve administrar os que já recolhe e cobrar daqueles que não pagam impostos).

    7) Mudança do Exame da OAB para o MEC
    ASSINAR Abaixo-Assinado

    ResponderExcluir
  64. DENÚNCIA GERAL PEDINDO MUDANÇAS NO EXAME DA OAB

    A/C DA AGU(ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO), TCU( TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO), PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA, MINISTROS DO STF E MINISTROS DO STJ, RELATIVO A TODOS OS TEXTOS ABAIXO:

    CARTA ABERTA A PRESIDENTA DILMA SOBRE SEU PEDIDO DE AFASTAMENTO PELA OAB:

    Presidenta Dilma, Vossa Excelência, nunca fez nada para acabar com o Exame da OAB, mantendo a chaga social contra os milhões de bacharéis que estão desempregados, tendo seus sonhos dilacerados por não exercer a profissão com dignidade, mesmo depois de formados, os quais são impedidos pelo exame da OAB/FGV, certame este, que reprova mais de 90% dos inscritos.
    A OAB sempre manteve o seu poder acima do ESTADO(CF/88), para ditar regras próprias que são de seu interesse de cunho particular. O exame da OAB/FGV, já arrecadou mais de 1 bilhão de reais desde 1994, quando foi implantado, que nunca pagou imposto e nem tampouco prestação de contas ao TCU.
    A OAB que Vossa Excelência, sempre deu atenção e apoiou a manutenção do seu exame,esta entidade protocolou ontem(28/03/2016), seu pedido de AFASTAMENTO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA na Câmara de Deputados e está tomando todas as medidas jurídicas cabíveis para tirá-la do poder.
    Ainda há tempo de fazer algo pelos Bacharéis em Direito, que clamam por justiça, acabando com o exame da OAB. Ressaltando que o curso de direito, é o único do nosso país, que mesmo o cidadão já formado de posse de um diploma universitário, tem que submeter ao EXAME OPORTUNISTA DA OAB, se quiser ingressar no mercado de trabalho. Infelizmente o Exame da OAB, reprova em massa mais de 90% dos que se inscreve neste certame.
    _____________________________________________________________________________________________________
    1) PEDIDO DE MUDANÇAS DO EXAME DA OAB
    Para: PRESIDENTA DILMA, PREFEITOS/VEREADORES, GOVERNADORES, DEPUTADOS FEDERAIS E ESTADUAIS
    1)ENFOQUE NAS MATÉRIAS DE ÉTICA E ESTATUTO DA OAB, QUE IRÁ COMPOR 50% DA NOTA NECESSÁRIA NA PRIMEIRA FASE DO EXAME DA OAB. (Pedimos tratamento de igualdade com o novo curso de direito, denominado "Tecnólogo em Direito", que tem duração de apenas dois anos, criado pelo MEC, com a aprovação da Presidenta Dilma). Inclusive o novo curso de direito(Tecnólogo em Direito), já foi publicado no Diário Oficial da União.

    2) EXIGÊNCIA NO CONTEÚDO DA 1ª FASE, apenas das matérias de Direito Penal, Direito Civil e Direito Constitucional.(Previsão também no novo Curso de Tecnólogo em Direito, criado pelo MEC, com aprovação da Presidenta Dilma).

    3) FIM DA 2ª FASE DO EXAME DA OAB

    4) GRATUIDADE GERAL DO EXAME DA OAB

    5) DISPENSA DO EXAME DA OAB PARA QUEM POSSUI
    PÓS GRADUAÇÃO EM DIREITO E RESIDÊNCIA JURÍDICA DE NO MÍNIMO DE 1 ANO.

    6) Tributação sobre os valores arrecadados sobre as taxas dos exames da OAB.(O Governo Federal, ao invés de aumentar impostos, deve administrar os que já recolhe e cobrar daqueles que não pagam impostos).

    7) Mudança do Exame da OAB para o MEC
    ASSINAR Abaixo-Assinado

    ResponderExcluir
  65. Deixa de chororô. Nunca vi tanta falácia e mimi... senta o traseiro na cadeira: estuda, que passa. Simples assim!

    ResponderExcluir
  66. Fosse a dificuldade semelhante à do concurso da magistratura federal, nosso país teria melhores profissionais da advocacia privada. Basta analisar 100 processos judiciais em um fórum, quantos deles terão erros grosseiros originários de advogados privados e quantos decorrentes do magistrado!?

    ResponderExcluir
  67. Acredito que não só o exame mas a própria OAB devem passar por algumas modificações. No entanto, não vejo problema algum em se estabelecer uma avaliação que verifique o grau de conhecimento do candidato que pretende exercer uma profissão tão importante.
    Além disso, eu realmente não entendo a tendenciosidade do texto ao tratar os EUA como se fosse referencia para todo e qualquer aspecto da vida.

    ResponderExcluir
  68. Acredito que a Ordem dos advogados do Brasil lucre mais de 80 milhòes com a aplicação do exame de ordem, e isso já basta como argumento para acabar com essa palhaçada.

    ResponderExcluir
  69. Não tenho nada contra a aplicação do exame da OAB. Porém, tenho minhas considerações me relação ao pagamento de 2 (duas) provas na inscrição. Seria mais coerente a cobrança apenas da 1ª fase e após a aprovação da 1ª fase se cobraria o valor da 2ª fase.

    ResponderExcluir
  70. 1 - Não é da competência da OAB e de nenhum sindicato avaliar, pois, esta competência pertence ao Estado (MEC). A Constituição Federal de 1988, diz em seu Art. 209 que compete ao poder público avaliar o ensino. Vejam que o texto constitucional e explicativo, ou seja, a avaliação do ensino é papel do Estado (MEC) junto às universidades e não de sindicatos.
    2 - O SINAES (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior), instituído pela Lei nº 10.861 de 2004, não trás em nenhum dispositivo permitindo a interferência de associações ou sindicatos no processo de avaliação de ensino, sendo esta competência exclusiva do MEC para as IES que integram todo o sistema federal de ensino.
    3 - De acordo com o Art. 5º, inciso XIII, “É livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer.
    4 - De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases – LDB – Lei 9.394/96 Art. 48 diz que: os diplomas de cursos superiores reconhecidos, quando registrados, terão validade nacional como prova da formação recebida por seu titular.
    5 - Não discordo do exame, no entanto que seja feito com a maior lisura, por quem de direito, ou seja: o Estado (MEC), soba supervisão do Poder Judiciário e não pelo sindicado de classe.

    ResponderExcluir
  71. Sou a favor do exame da ordem, mas o que é desumano é o valor para fazer a prova e a anuidade da OAB, isso ninguém faz nada, um verdadeiro absurdo.
    Para se ter uma ideia, para se inscrever para a prova, o bacharel paga em torno de R$ 260,00, ou seja uma taxa mais cara do que concurso público de Juiz por exemplo.
    A anuidade fica em torno de 1.000,00, uma das mais caras referente ao exercício da profissão.
    É uma vergonha, o Ministério Público tem que intervir, pois se trata de direitos individual Homogêneo, ou como outros preferirem, direito coletivo.

    ResponderExcluir
  72. Passei na oab inumeras vezes, inclusive a 1 vez no 7 semestre... O exame cobra o minimo do minimo....

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.