STF gastará R$ 90 mil com reforma de banheiros para Joaquim Barbosa

Postado por: Editor NJ \ 25 de junho de 2013 \ 7 comentários

A partir de julho, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, mudará do apartamento funcional que já ocupa na Asa Sul, em Brasília, para um mais amplo, de 523 metros quadrados, na mesma região. O detalhe é que a reforma custará 90.000 reais ao STF, segundo reportagem da Folha de S. Paulo.

Do total da obra, 78.000 reais serão pagos à empresa que venceu um pregão eletrônico na semana passada, diz a reportagem. Mais 12.000 reais devem ser gastos com empresas já contratadas para troca instalação de vidros, espelhos e a compra de uma banheira.

Segundo a Folha, o edital do pregão eletrônico realizado para o pagamento da reforma prevê a aquisição de 23 peças em mármore e granito por 15.500 reais. Um terço desse valor seria pago por uma prateleira e uma bancada e outros 396 reais seriam pagos por cada um dos assentos e tampos dos quatro vasos sanitários dos banheiros.

Na presidência do STJ, Barbosa é conhecido por defender a contenção de despesas do Judiciário.

Fonte: Revista Exame

categoria: , ,

7 comentários:

  1. Por favor, maiores detalhes desta noticia, acho que a Nação juridica deve isso aos seua leitores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo Alzira / é preciso mas detalhes, esta mto vago / ... ele é a favor disso? s for, caiu no meu conceito

      Excluir
  2. Quer conhecer um homem (mulher)? De-lhe poder.

    ResponderExcluir
  3. Pelo que entendí, foi aberta uma concorrência como manda o figurino, assim como tratar-se de outro apartamento funcional. Se alguém conseguiria fazer por menos, deveria ter apresentado sua proposta. Assim, teria prestado um ótimo serviço à causa da contenção de despesas. <> Apartamento funcional não é propriedade do "morador", o que significa que não é bem "uma reforma para Joaquim Barbosa". Bom seria informarem mais detalhes sobre a reportagem, como a data da publicação, por exemplo.

    ResponderExcluir
  4. Péssima difusão de reportagem! Mais detalhes, por favor! Você da Nação Jurídica estão atribuindo nomes inadequados aos fatos! Sejam mais imparciais como um periódico de Direito que são, e mais jornalistas no teor informativo! Crítica construtiva, afinal, admiro a Nação Jurídica por outros posts.. Mas não esse!

    ResponderExcluir
  5. Não gostei dessa reportagem ! Apresenta fatos vagos e dispersos ! Além também de insinuar desconjunturas ao caráter do sujeito em questão não levando, ao meu ver, informações suficientes para isso!

    ResponderExcluir
  6. Realmente... não é bem assim que se divulga um FATO. Da forma que foi feito, pra mim, já perde toda a credibilidade. Precisamos aprender a explicar e COMPROVAR os fatos "assustadores".

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.