Termina hoje a enquete sobre a PEC 37 - Participe!

Postado por: Editor NJ \ 19 de junho de 2013 \ 4 comentários

A Enquete realizada pela Coordenação de Participação Popular (CPP) da Câmara dos Deputados sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 37/11 atingiu nesta terça-feira (18) 150 mil votos, um recorde de participação popular pelo Portal.

O encerramento da votação será feito hoje à noite para que os cidadãos tenham mais 24 horas para se posicionar.

A proposta prevê a restrição do poder de investigação criminal do Ministério Público e atribui a competência exclusivamente às polícias federal e civil. A votação do texto no Plenário está prevista para o próximo dia 16.

A consulta aos internautas está aberta desde 4 de junho e até agora tem os seguintes resultados: 83% dos votos são contrários à aprovação da proposta, 15% são favoráveis e 2% dos votantes concordam em parte com a emenda. Na sequência do ranking das enquetes mais votadas, e ainda abertas à participação do público, está a revogação do Estatuto do Desarmamento, em segundo lugar, com aproximadamente 60 mil votos, e, em terceiro, descriminalização das drogas, com cerca de 32 mil votos.

Videochat
No último dia 28 de maio, o deputado Fabio Trad (PMDB-MS), que relatou a PEC em comissão especial e faz parte do grupo de trabalho criado para aperfeiçoar a proposta, participou de videochat sobre o assunto e respondeu a perguntas de internautas de todo o País. O debate também teve recorde na participação: mais de cem pessoas enviaram questões e dezenas de outras utilizaram o recurso de “espiar” do videochat para acompanhar o bate-papo, que fica disponível mesmo quando a sala está lotada.

Durante a conversa com os internautas, Trad se disse favorável à atuação conjunta entre polícia e MP, em sinergia, como propôs em seu texto. Ele defendeu a responsabilidade da polícia pela investigação de casos relativos a homicídios, estupros, roubos e estelionatos, entre outros, e que os promotores possam atuar em crimes de “colarinho branco” e naqueles cometidos por organizações criminosas, por exemplo.

O grupo do qual o deputado faz parte, criado no final de abril para apresentar um texto de consenso, conta também com a presença de representantes do Ministério da Justiça, do MP e das polícias, sob coordenação do secretário da Reforma do Judiciário, Flavio Crocce Caetano.

Na internet e nas ruas
O polêmico tema, que é responsável também pelo maior volume de comentários nas notícias do Portal da Câmara, tendo recebido mais de 150 comentários somente na enquete, gerou um efeito viral nas redes sociais, com milhares de compartilhamentos.

Em Belém, várias entidades ligadas ao Ministério Público e organizações sociais de defesa dos direitos humanos e da cidadania montaram postos para que a população participasse, na Praça da República, da votação sugerida pela Câmara. A PEC também é um dos itens da pauta de reivindicação dos manifestantes que tomaram as ruas de várias cidades do País nos últimos dias, contrários à aprovação do texto original.

Interação com internautas
A enquete é uma ferramenta que permite ao cidadão manifestar sua opinião sobre determinada proposta em tramitação na Câmara. Os números gerados não têm valor científico, e o objetivo da ferramenta é promover interação com os usuários do Portal.

Fonte: ww2.camara.leg.br

categoria: ,

4 comentários:

  1. negocio era enfiar a pauta da PEC 37 no rabo dos parlamentares corruptos

    ResponderExcluir
  2. Sou contra o PEC 37,pois isso é uma falta de respeito com os cidadãos brasileiros,uma forma de varrer a sujeira para debaixo do tapete e deixar de lado os princípios que ainda nos restam.

    ResponderExcluir
  3. essa raça política,age como se fosse só eles no planeta e nos não estivéssemos aqui,ficam la sentados em seus escritórios babando e quando resolve fazer alguma coisinha e pra manipular nossas vidas como se fôssemos cãezinhos adestrados,vamos inventar onde vamos arrancar dos burros brasileiros, vou inventar algum imposto pra esses idiotas pagarem,igual esse filho de puta esse Aesio Neves fez em Minas ,criou três impostos detonou com a vida do pequeno empresario,criou essa desgraça que e a tacha de incêndio enquanto o salário e seiscentos e pouco a tacha chega a quase mil reais deixou essa bagunça e foi embora pra Brasília concorrer a Presidência esse filho de puta gosta tanto de dinheiro que se ganhar vai vender nossos filhos e privatizar nossos lares,sem contar que esse vagabundo não tem identidade própria tem que ficar usando nome do avo dele que já morreu a tanto tempo,ele não e capaz de fazer política sem mencionar o nome do coitado nem o deixa descansar em paz,e o povo não consegue enxergar essa faceta, essa manipulação desse vagabundo,ele teve sua chance de mostrar se seria ou não um bom político, e detonou Uberlândia,e esse negocio que Minas avança na educação e mentira, em cada bairro que se vai nesta cidade falta escola pra varias, centenas de crianças,elas não conseguem se matricularem nem no próprio bairro que moram,canalha mentiroso,acorda Brasil.

    ResponderExcluir
  4. O voto é nosso, e o povo tem que anular seu voto e mudar toda a política do país,nós é que devemos escolher nossos governantes não os partidos, vamos acabar com essa falsa democracia e a corrupção.Essa quadrilha tem que sair e isso só vai acontecer se vc não votar em nenhum deles.A força é do povo.

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.