Diferença entre Negligência, Imprudência e Imperícia

Postado por: Editor NJ \ 8 de julho de 2013 \ 63 comentários

Em 2007, um senhorzinho de 90 anos foi fazer implantes em um cirurgião-dentista na Flórida (EUA).  Durante o procedimento, o dentista, acidentalmente, deixou cair uma chave digital de implante odontológico, na garganta do paciente. Na ocasião, a minichave entrou pelo esôfago e o tal senhorzinho precisou de uma colonoscopia para retirá-lo de seu intestino grosso.

Apesar do ocorrido, o obstinado vovozinho continuou o tratamento com o mesmo dentista. Surpreendentemente, o cirurgião-dentista voltou a derrubar a chave digital pela garganta do idoso. Desta vez, o objeto foi para a traquéia, seguindo para o pulmão. O azarado paciente ficou internado por 50 dias e morreu devido às complicações causadas pela cirurgia de retirada do objeto.

Abalado, o dentista não praticou Odontologia desde o ocorrido e acabou por vender seu consultório em 2009. O profissional foi multado em US$ 17 mil pelo Board of Dentistry. O Florida Department of Health ainda iniciou uma investigação por negligência e o cirurgião-dentista teve de pagar US$ 10 mil pelos custos do inquérito. Esse ano, espontaneamente, o dentista trapalhão cancelou a sua licença e deixou de ser dentista.

O dentista da história foi investigado por negligência. Mas, será que o tal profissional foi somente negligente? Talvez, ele não soubesse utilizar o instrumento com destreza ou utilizava a chave digital de maneira intempestiva e sem os devidos cuidados...

Então, Você sabe qual é diferença de Negligência, Imprudência e Imperícia?

Esses três termos podem ser classificados como modalidades de culpa. É comum ouvirmos falar em negligência, imprudência e imperícia em casos de erro médico, acidentes de trânsito, acidentes com armas de fogo, entre outros tantos.

Negligência:

Na negligência, alguém deixa de tomar uma atitude ou apresentar conduta que era esperada para a situação. Age com descuido, indiferença ou desatenção, não tomando as devidas precauções.

Imprudência: 

A imprudência, por sua vez, pressupõe uma ação precipitada e sem cautela. A pessoa não deixa de fazer algo, não é uma conduta omissiva como a negligência. Na imprudência, ela age, mas toma uma atitude diversa da esperada.

Imperícia: 

Para que seja configurada a imperícia é necessário constatar a inaptidão, ignorância, falta de qualificação técnica, teórica ou prática, ou ausência de conhecimentos elementares e básicos da profissão. Um médico sem habilitação em cirurgia plástica que realize uma operação e cause deformidade em alguém pode ser acusado de imperícia.

Resumindo:

1) negligência: desleixo, descuido, desatenção, menosprezo, indolência, omissão ou inobservância do dever, em realizar determinado procedimento, com as precauções necessárias;

2) imperícia: falta de técnica necessária para realização de certa atividade;

3) imprudência: falta de cautela, de cuidado, é mais que falta de atenção, é a imprevidência a cerca do mal, que se deveria prever, porém, não previu.

Então, qual será que foi a ação desse dentista norte-americano?

categoria: , ,

63 comentários:

  1. Respostas
    1. nesse caso foi negligencia e impericia, falta de cuidado e falta de competencia profissional.

      Excluir
    2. esclarecedor (2)

      Excluir
    3. Imperícia não, pois o cirurgião dentista tinha as devidas licenças para trabalhar. Imperícia se dá quando o autor da ação não tem qualificações necessárias para realizar o procedimento.

      Excluir
    4. Talvez devessemos levar em consideração o estado psicológico dos médicos para saber se eles estão qualificados ou não para o atendimento.

      Excluir
    5. estado psicologico dos medicos se vê quando recebem o contracheque

      Excluir
  2. ELE TEVE OS 3
    1°NEGLIGÊNCIA- Durante o procedimento, o dentista, acidentalmente, deixou cair uma chave digital de implante odontológico, na garganta do paciente.
    2°IMPRUDÊNCIA-Surpreendentemente, o cirurgião-dentista voltou a derrubar a chave digital pela garganta do idoso.
    3°IMPERÍCIA- A FALTA DE TÉCNICA DO CIRURGIÃO DEIXA NITIDAMENTE QUE O "PROFISSIONAL" NÃO TEM COMPETÊNCIA NENHUMA PARA EXERCER A FUNÇÃO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. amo o vicente buratto

      Excluir
  3. Negligência, imprudência e imperícia... coitado do velhinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo.
      Senhor autor,
      Respeito seu conceito de negligencia mas com devida vênia,quero contestar..
      Entendo que na NEGLIGENCIA, o autor do evento pratica o fato sem importar com o resultado, ou seja, ele quer praticar o fato por vontade própria. Diferente de IMPRUDENCIA E IMPERICIA. Quando surge a negligencia, logo aparece o dolo. Obrigado,

      Excluir
  4. Infelizmente teve os três.

    ResponderExcluir
  5. A imperícia é a junção de atos de negligencia juntamente com imprudência em uma profissão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita a resposta acima, segundo termos técnicos-jurídicos, que é o que esses 3 institutos são, a IMPERÍCIA é caracterizada quando alguém que exerce arte, ofício ou profissão, sabendo dos procedimentos (ou devendo saber) não segue as técnicas necessárias/esperadas, seja por uma conduta ativa, que é o caso da IMPRUDÊNCIA (agir com falta de cautela, p. ex.: tentar furar sinal de madrugada e causar acidente), ou por uma conduta passiva, que é o caso da NEGLIGÊNCIA (deixar de tomar precauções necessárias, ex. mãe que não cuida de seus filhos e estes se machucam gravemente).

      Excluir
    2. Não bando de doido. Imperícia tá relacionado com a técnica necessária para fazer o tratamento no dente bem-feito. Exe: Um canal bem furado e o pino bem encaixado. O que acontece além disso, deixa de se configurar imperícia e se torna imprudência ou negligência.

      Excluir
    3. kkkkkkkkkkkkkkk, desculpe, mas ñ teve como ñ rir da sua colocação (bando de doido), mas vou dar minha opinião sobre o assunto em questão, abaixo

      Excluir
  6. É ESSE CARA PARECE ALGUNS DOS MILHARES PROFISSIONAIS DA ENFERMAGEM QUE MUITAS VEZES TRABALHAM EM ETERMINADAS INSTITUIÇÕES QUE LHE OBRIGAM A FUGIR DESTES ATOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que só profissionais de enfermagem? Não se esqueça que EM TODA A SUA VIDA você vai precisar e, até mesmo, ter sua vida salva por um desses profissionais. Perdi as contas de quantas massagens cardíacas fiz em pessoas que tinham o mesmo pensamento que você. P.s.: Todas estão vivas.

      Excluir
  7. Minha profª de Direito Penal afirma que a imperícia pressupõe a perícia, logo, para que a mesma ocorra, o médico por exemplo deveria ter a especialidade naquela área e cometer um erro.

    ResponderExcluir
  8. Batista Tec de enfermagem do Recife-PE

    Neste caso nao deve imperícia nao.
    Pois ele era cirugião dentista estava devidamente qualificado para realizar esse procedimento.
    Mais foi jugado por negligência mais tambem deve a imprudência ja que o idoso ja era um paciente que ele errou e faltou mais cuidado em relação a isso. Deveria ter feito diferente na segunda vez.

    ResponderExcluir
  9. ELE NÃO FOI IMPERITO PORQUE TINHA CONHECIMENTO DA PROFISSÃO NÃO FOI NEGLIGENCIA PORQUE FORAm TOMADAS TODAS AS PROVIDENCIAS PARA SALVAR A ViDA DO VELHINHO MAIS FOI TOTALMENTE IMPRUDENTE PORTER CONHECIMENTO DO PRIMEEIRA CAUSA E VOLTO A ERRAR OUTRA VEZ CRACTERIIZANDO A IMPRUDÊNCIA .

    ResponderExcluir
  10. FORAM OS 3, MAS A IRRESPONSABILIZABILIDADE, FALTA DE CARÁCTER E FALTA DE ESTADO(POLÍCIA) ME CHAMOU MAIS ATENÇÃO, A PARTIR DA PRIMEIRA CIRURGIA UMA FISCALIZAÇÃO DEVERIA SER FEITA EM SEU CONSULTÓRIO.

    ResponderExcluir
  11. Super esclarecedor, e foram os três. O Cliente ainda confiou e voltou para continuar o procedimento, mas não foi possível infelizmente.

    ResponderExcluir
  12. A ação do dentista foi de imperícia

    ResponderExcluir
  13. Em relação a si mesmo, o senhorzinho foi negligente, imprudente e imperito,,,

    ResponderExcluir
  14. O infeliz aí foi imprudente e ao aparecer que foi de propósito pro sinhozinho ñ voltar mais ao seu consutório...Sacanaaagem seu dentista,agora pagarás pelo o teu erro!!!

    ResponderExcluir
  15. Pôr dotor...Persistir no erro!!!Sabe o que é isso???

    ResponderExcluir
  16. Deixa ver se eu entendi:
    um negligente deixa de fazer.
    um imprudente faz o seus afazeres sem as devidas precauções.
    e o imperito faz sem conhecimentos, elementares e básicos, da qualificação técnica, teórica ou prática para tomar as devidas precauções.

    ResponderExcluir
  17. OiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOiOi

    ResponderExcluir
  18. Nenhum dos três..........

    ResponderExcluir
  19. Por favor ajude-me!
    Minha esposa foi diagnosticada com Dermatite Crônica, uma mancha pequena na panturrilha, tendendo, para uma Hanseníase segundo Médico Dermatologista de uma clínica particular. Fui ao SUS de minha cidade pois a situação era de Saúde Pública, ela foi atendida por um Médico que logo prescreveu Dapsona 100 mg e Rifampicin , uma cartela com 30 comprimidos para serem tomados durante seis meses! Durante o tratamento esses medicamentos causaram problemas no pulmões e no fígado de minha esposa. O que faço? Os dois médicos erraram? Foram imperícias médicas? Devo procurar a justiça civil e tentar indenização?
    Como proceder?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, bem, é o seguinte: Primeiro lugar é importante o senhor ter certeza do diagnóstico da sua esposa e iniciar o tratamento correto. Depois disso pensar nas possibilidades de sansão para o , ou profissionais que erraram, seja de modo imprudente, imperito ou negligente. vou dar minha opinião a esses três assuntos controversos. Eu entendo que a imperícia ocorre qdo o erro acontece com profissional inerente, exemplo disso: um motorista de onibus errou uma manobra e atropelou um pedestre, isso é impericia (ELE É PROFISSIONAL NESSA QUESTÃO e teria por obrigação de saber o espaço físico necessário para realização da manobra); outra situação é: um motorista (categoria ñ profissional) dirigindo seu próprio veículo de passeio foi manobrar o carro e atropelou um pedestre, isso é imprudência (ele deveria presumir que a manobra causaria danos) . vejam que a história é a mesma, muda apenas a categoria do condutor, ou seja: quando é profissional na questão envolvida e quando ñ é profissional na questão envolvida. Agora imprudência é tudo aquilo que se faz despreocupado com o resultado, sem se importar se prejudicaria alguém, se poderia ter sido evitado, descuido, descaso, algo que a lei não dita normas, portarias. O senhor relata que os medicamentos fizeram mal para os pulmões dela, isso ñ quer dizer que os medicamentos estavam errados para aquele tratamento. Pra mim não ficou claro se sua esposa foi corretamente diagnosticada e se a conduta medicamentosa é que não teve correlação com a patologia ou se ela apresentou efeitos colaterais, entre outros. ESPERO TER AJUDADO.

      Excluir
  20. Negligência, pois o profissional agiu com descuido!

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. imperícia e imprudência, ja visto q ele não tinha habilidade em manusear o aparelho, e imprudência por vir a cometer o mesmo erro, sendo q devia ter tomado cuidados necessários para que o fato não voltasse a ocorre. excluo a negligencia pois devido as fatos apresentado, ele não agiu com descaso e nem fez de proposito, na realidade foi descuidado.

    ResponderExcluir
  23. Como o direito americano segue a tradição da comow law e o nosso ordenamento, preponderantemente, segue a tradição da civil law (romano-germânico) é imprescindível destacar que a imperícia, técnica tupiniquim brasileira, só existe em nosso ordenamento. Dito isso, o que seria imperícia sob a ótica do operador jurídico brasileiro, nos EUA seria imprudência ou negligência, uma vez que não há a previsão da impéricia nos diplomas normativos anglo-saxônicos!!! espero ter ajudado

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. NO MEU CASO FOI TODOS OS TRÊS ,O MEU PROFESSOR PEDINDO SÓ OS TRECHOS POOQ ELE E PROFESSOR DE (EDUCAÇÃO FÍSICA).....

    ResponderExcluir
  26. O cirurgião dentista era apto para exercer sua função, mas por descuido ele cometeu o mesmo erro duas vezes com a mesmo pessoa, aqui na história não relata quantas vezes ele usou este mesmo aparelho sem causar dano algum aos pacientes o azarado velinho foi quem pagou o pato. Na realidade ele foi negligente.

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  28. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  29. Matematicamente "falando", acho que seria bem resumido e fácil, assim:

    NEGLIGÊNCIA: ausência de atitude (embora competente) - Omissão;
    IMPRUDÊNCIA: atitude errada (embora competente);
    IMPERÍCIA: atitude errada (sem competência )

    Concluindo: 1-) sendo o Dr. um médico diplomado e sem outros casos parecidos, não pode ser imperícia. 2-) ele tinha o conhecimento e errou, portanto foi IMPRUDENTE.

    ResponderExcluir
  30. Em minha opinião esse triste ocorrido teve 02 partes:

    1 - Considero o dentista NEGLIGENTE, no episódio da primeira vez que ele derrubou a chave digital pela garganta do idoso.
    Depois desse ocorrido, não houve a quebra de confiança por parte do cliente, o que pressuponho que o Dentista poderia ser habilitado para tal prática, até porque no texto não afirma o contrário, o que concluo que IMPERÍCIA não caberia para esse caso.
    2 - Agora, foi IMPRUDENTE, porque apesar do ocorrido anteriormente, com danos à saúde do cliente, ele não foi zeloso o bastante, a ponto de cometer o mesmo erro novamente, e com o agravante pelo óbito do idoso, portanto, foi NEGLIGENTE e IMPRUDENTE.

    ResponderExcluir
  31. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  32. Caso o "profissional" houvesse somente cometido o primeiro incidente, configurar-se-ia como uma atitude imprudente em que, por falta de cuidado, a chave digital foi derrubada na garganta do idoso. No entanto, com a reincidência do erro, ficou quase que evidente a incapacidade técnica do referido cirurgião - dentista, ou seja, o erro foi ocasionado por imperícia profissional.

    ResponderExcluir
  33. Negligêcia e imperícias
    quando praticamos a profissão com falta de atenção, e provoca danos ao cliente

    ResponderExcluir
  34. Olá senhor(a),

    Valdir Silva.

    Na minha opinião o fato acontecido foi impéricia !
    O que está faltando aos leitores é interpretação da matéria ,pelo fato dele ser dentista formato ,concerteza o que faltou foi técnica no manuseio da cheve por mais que ele é formato tem diploma mas não tem prática no manuseio da chave ,tanto que ele pediu licença da profissão, se sentiu incapacitado em técnica para utilizar as ferramentas de trabalho.

    ResponderExcluir
  35. Baseando na jurisdição brasileira

    complementando os comentários os colegas a cima, poderá concretizar cada opinião valida, todas modalidades caberá argumentos sustentável para fundamentar o caso concreto mencionado. E uma fatalidade de fato acontecido como senhor, por erro continuo do Dr. de Odontologia, ás vezes por falta de aptidão de profissionalismo do mesmo, que arcou a falta de cuidados com o procedimento adequado, até mesmo a ausência de cautelas...

    ResponderExcluir
  36. Olá pessoal. Não sou a dona da verdade, mas sem medo de errar, posso afirmar que houve as três falhas.
    Primeiro, o dentista (presumo que tenha especialização em endodontia), deveria ter profundo conhecimento dos instrumentos, seus respectivos usos e prováveis acidentes, no entanto deixou acontecer, caracteriza imperícia.
    Segundo: reincidiu o fato , na segunda oportunidade de tratamento ele poderia presumir que o episódio se repetisse e tomasse provieencias, exemplo: por medida de cautela contasse com apoio de um instrumentador .
    Terceiro: Negligência por apatia, relaxo com a profissão, descuido com a situação, despreocupação com o resultado para o paciente. ESPERO TER AJUDADO

    ResponderExcluir
  37. Fico com negligência e Imprudência, técnica ele tinha!
    Portanto não é imperícia.

    ResponderExcluir
  38. ELE TEVE TUDO, MENOS IMPERICIA

    ResponderExcluir
  39. No meu entendimento, houve nesse caso:
    Negligência, Imprudência e Imperícia.

    ResponderExcluir
  40. Esse de que a pessoa tem qualificação pra algo não quer dizer que ela não tem imperícia. Eu vejo um monte por exemplo, que tirou CNH e faz coisas que até deus duvida no trânsito!! Ter um certificação, carteira ou diploma não quer dizer que a pessoa não tenha imperícia

    ResponderExcluir
  41. O dentista foi apenas NEGLIGENTE. Já podemos descartar logo de cara a imprudência, pois o dentista não praticou uma ação irresponsável, a chave caiu na garganta do paciente por uma falta de atenção, por uma falta de cuidado, por desleixo do dentista em observar que a chave poderia cair na boca do idoso. Não foi imperícia uma vez que a causa do acidente não foi por incompetência no exercício da profissão, ou seja, a causa da fatalidade não foi em decorrência dos procedimentos técnicos feitos pelo dentista e sim um descuido que seria passível a qualquer pessoa independente de ser dentista ou não. Dessa forma só fica caracterizado a NEGLIGÊNCIA.

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.