O binômio pensar x falar

Postado por: Editor NJ \ 25 de setembro de 2013 \ 2 comentários

O ser humano não conhece a força de suas palavras. Dias atrás, proferiu o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, quando indagado acerca de eventual mudança no horário de atendimento no Tribunal de Justiça de São Paulo (que visa a dar início às atividades voltadas ao público às 11h), o seguinte contra-questionamento: “Mas a maioria dos advogados não acorda lá pelas 11h da manhã mesmo?”

Repare, anônimo leitor, a força que uma declaração polêmica possui. Mesmo com um ar de piada, Barbosa, ao lançar tal afronta, caiu no conceito dos profissionais da advocacia e de todo aquele que tomou conhecimento da referida - e infame - brincadeira. Aquele ministro-fenômeno, que ganhou a confiança do Brasil e do mundo ao ser o mocinho no julgamento do mensalão - que pela primeira vez na história do STF, criado em 1824, condenou políticos -, que inclusive fora indicado pela mídia como forte candidato à presidência da república, e que, recentemente, nas atribuições de presidente do Conselho Nacional de Justiça, transformou em realidade o casamento civil de pessoas do mesmo sexo, causou desconforto na mídia e quase manchou sua digna e respeitada imagem.

Quase? Sim, quase. Não se transpassa tal barreira pois cada ser pensante, até mesmo o emérito presidente do STF, comete seus erros. Seria injustiça crucificar eternamente o homem implacável e fundamental na denúncia contra o mensalão, eleito como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista americana Time, caracterizado pela mesma como “O menino pobre que mudou o Brasil”.

A lição que fica? É a de que, se até mesmo Joaquim Benedito Barbosa Gomes, por tudo que é, e por tudo o que fez, caiu em momentâneo descrédito em razão de uma infeliz brincadeira, cuidemos nós, então, para que igualmente não sejamos alvo de nossas próprias palavras, muitas vezes ditas sem a importante soleira do pensar.

Guilherme Rosa Mueller (20 anos),
Acadêmico de Direito
guilhermerm.adv@terra.com.br
https://www.facebook.com/guilherme.mueller.9


categoria:

2 comentários:

  1. O que Joaquim Barbosa disse sobre os advogado e tantas outras pérolas do ilustre Ministra não podemos classificar como erros, deslize. Tudo o que o Sr. Barbosa disse ou diz foi e é absolutamente pensado, não um simples erro.

    ResponderExcluir
  2. Ele com cereteza foi advogado e acordava a essa hora

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.