A partir de agora, produto com preço diferente na gôndola e no caixa sairá de graça nos supermercados

Postado por: Editor NJ \ 16 de janeiro de 2014 \ 16 comentários

****
Você sabia? Vai acontecer o I Congresso Nação Jurídica de Direito Penal em abril na cidade de Fortaleza. Confira aqui. Participe!


A partir de agora, o consumidor que encontrar valores divergentes entre o preço anunciado na gôndola e o registrado no caixa de mais de 300 supermercados do Estado do Rio poderá levar o produto de graça. Batizada de “De olho no Preço”, a campanha é resultado de um termo de compromisso firmado entre a Defensoria Pública do Rio, os órgãos do Sistema Estadual de Defesa do Consumidor e das associações estadual e brasileira de supermercados (Asserj e Abras).


Quando fazemos uma mudança de preço no sistema, às vezes, por falha de um funcionário, o preço na gôndola demora a ser atualizado, e aí acontece o erro. O consumidor que estiver atento e verificar a diferença ao passar os produtos no caixa será gratificado com a gratuidade - ressalta Aylton Fornari, presidente da Asserj.

Para ter direito a levar o produto sem pagar por ele, o consumidor deve identificar a diferença de preço antes de fazer o pagamento, e procurar o gerente ou o responsável pelo estabelecimento para informá-lo sobre o problema. Independentemente da quantidade que deseja levar do produto encontrado com preço diferente, o consumidor receberá apenas uma unidade gratuita. Ou seja, se o cliente quiser comprar mais de uma unidade, a primeira sairá de graça, mas as demais terão o menor preço computado.

A iniciativa não contempla produtos das seções de têxteis, eletroeletrônicos, áudio e vídeo ou equipamentos para veículos.

Os supermercados que integram a campanha estarão identificados com cartazes. De acordo com Fornari, 317 lojas de várias redes em todo o Estado Rio firmaram o acordo.

Fonte: O Globo

categoria: , ,

16 comentários:

  1. Se isso acontecesse aqui na minha cidade o Bretas tava falido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei a mesma coisa e no mesmo supermercado!!!

      Excluir
    2. Kkkk pensei na mesma coisa

      Excluir
  2. Sinceramente não concordo. É certo que na relação de consumo o consumidor é a parte mais frágil, mas o preço justo deve prevalecer. Portanto, o menor preço deverá ser cobrado e não dado gratuitamente. A administração e organização do supermercado atrai clientes, logo não é necessário prejudicá-lo com tanto visto que é do interesse do mesmo a grande clientela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, creio que a idéia seja justamente esta, de punir "da pior forma possível" os estabelecimentos que por um determinado motivo vendam um mesmo produto por dois preços. Quando essas medidas tocam diretamente no bolso do empregador, te garanto que o problema é resolvido imediatamente. Eu apoio esta idéia.

      Excluir
    2. Concordo com o colega de que o preço que deve prevalecer é o mais barato, seria a medida mais sensata

      Excluir
    3. Partindo do pressuposto que foi realmente erro concordo com o preço mais barato, mas por ter trabalhado em supermercados tenho plena consciência que este erro meus amigos NÃO É ERRO.......

      Excluir
  3. so sei q se eu for no mercado e não tiver preço eu quero de graça sim eh um direito meu....

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Antes de decidir se seria mais sensato cobrar o preço mais barato ou dar o produto de graça, pense o seguinte : na grande maioria dos casos , o consumidor não percebe que está pagando o produto no caixa por um preço diferente do que viu na estante (geralmente superior). na maioria das vezes por que está comprando mais de um produto e não fiscaliza o computador do atendente pr verifica cada preço (oq ninguém faz, convenhamos).. Assim, nos casos em que o consumidor descobre a falha, ele paga o preço menor, aquele que é o preço real. (ou seja, o fornecedor não perde nada,, só tem a ganhar com a desatenção do cliente.).. Por isso deve-se dar o produto de GRAÇA., a fim de alertar o fornecedor do risco de incongruência de preços, seja ela causa por erro de funcionário ou por má fé da empresa... Entretanto, penso que o cliente deveria ter que pagar o preço menor nos casos em que há diferença é inversa,ou seja, quando o preço no caixa for menor do que o constado na gôndola, pois mostra inexistência de má fé por parte da empresa.

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de ter a lista de supermercados participantes, por favor ou link para acessá-los?

    SUPERMERCADOS, NO CASO TAMBÉM SÃO EMPRESA QUE VENDEM MATERIAIS DIVERSOS DE ALIMENTAÇÃO??

    Passei por constrangimento mas não tive como provar, a empresa retirou o preço diverso antes que pudesse fotografar!

    ResponderExcluir
  7. Também passei por constrangimento, no caixa do supermercado Mundial hoje, quando falei que teria que levar o produto de graça pois o preço registrado era maior do que na gôndola. A pessoa responsável que veio até ao caixa disse que eu teria que pagar pelo produto(vinho Medrano), o valor de R$22,90( o valor no caixa era de R$25,80) que era o preço promocional que constava também do encarte. Acrescentou dizendo que eu estava mal informada , pois o segundo produto é que eu levaria de graça. Não quis bater boca com ela e acabei levando o outro. Lendo a lei em casa vi que eu estava certa. Já me comuniquei com o Mundial que ficou de me dar um retorno amanhã sobre o ocorrido. Consegui tirar foto antes da supervisora tirar o preço promocional da gôndola. Temos que ficar sempre atentos!!!

    ResponderExcluir
  8. Alguém sabe qual é a fundamentação legal desse dispositivo, e qual os mercados participantes ?

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.