Permitida entrada em cinema com alimento comprado em outro local

Postado por: Editor NJ \ 23 de junho de 2017 \ 10 comentários

O empreendimento São Luiz de Cinemas (Centerplex) não pode impedir a entrada, em todas as suas salas de exibição, de consumidores que adquiram produtos iguais ou similares aos também vendidos nas lanchonetes da empresa. A decisão é da juíza Carla Susiany Alves de Moura, da 3ª vara Cível de Maracanaú/CE.

O MP/CE alegou que a proibição do acesso às salas do cinema de pessoas que levam alimentos comprados em outros estabelecimentos é prática abusiva, que obrigada o cliente a comprar os produtos da empresa, o que configura venda casada, infringido o art. 39 do CDC.

Ao analisar o caso, a magistrada afirmou que ao "compelir o consumidor a comprar no próprio cinema, a empresa dissimula uma venda casada, pois quem vai lá assistir a um filme e quiser beber ou comer tem que comprar dela. E aí é que está o abuso que nossa legislação não permite".

A juíza também destacou que a "prática abusiva revela-se patente quando a empresa cinematográfica permite a entrada de produtos adquiridos nas suas dependências e proíbe os adquiridos fora".

Além disso, a empresa não poderá afixar qualquer aviso que iniba o cliente de ingressar com produtos comprados em outros locais, sob pena de multa diária de R$ 5 mil.

categoria: , ,

10 comentários:

  1. Muito bom, já fui barrada em vários cinemas por causa disso e eles falavam "ou você entra e joga fora a comida ou você não entra e come".

    ResponderExcluir
  2. Isso vale também para clubes recreativos, resorts e etc??

    ResponderExcluir
  3. Cara na boa, é só falar venda casada é crime, e se me impedir de entrar com o que eu comprei eu denuncio a polícia. Não vão deixar entrar. Registre o BO. E acione a justiça por danos morais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois da causa ganha retorne lá com seu refrigerante e pipoca ou outra coisa comprados de outro lugar. kkkkkkkkk

      Excluir
  4. Concordo com antônio em gênero, número é grau kkkkkk , chamo a polícia faço o BO e ajuízo uma ação contra a empresa, com amparo legal do CDC no artigo 39, e peço dano subjetivo pelo constrangimento sofrido e dano material por ter comprado a entrada e ter sido impedido de ver o filme , claro que ainda solicito que os amigos filmem toda a confusão, ou seja, começo fazer provas na hora. Vivemos em um País cujo tem leis, e essas devem ser observadas.

    ResponderExcluir
  5. Já passaei por grande costrangimento com minha familia...fiquei revoltada...Isso ta valendo para todos do Brasil?

    ResponderExcluir
  6. Ja era hora de acabar com esse desrespeito ao consumidor.

    ResponderExcluir
  7. Que absurdo esse processo!

    Se o cinema é privado, está entrando numa área particular para assistir o cinema. É lógico quem coloca as regras é o dono do estabelecimento.

    Que os proprietários de cinema deveriam processar o estado.

    ResponderExcluir
  8. isso e um absurdo,que dizer que eu quiser assistir um filme no cinema e quiser comer vou ser obrigado a pagar 10,20 ou ate 40 reais numa pipoca do cinema que absurdo isso,não troco meu Cheetos ou fandangos nem a pau por pipoca de cinema,cara um refi de 500ml 10 conto isso é um absurdo

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.