Maria Augusta Saraiva: A primeira mulher na advocacia brasileira

Postado por: Editor NJ \ 8 de março de 2015 \ 3 comentários

Em 1897, a advocacia abriu as portas para a primeira mulher ingressar na Faculdade do Largo São Francisco. Aliás, o pioneirismo marcou a trajetória de Maria Augusta Saraiva, que nasceu em 31 de janeiro de 1879, e também foi a primeira figura feminina a atuar no Tribunal do Júri.

Destacou-se tanto nas Arcadas que, ao formar-se em 1902, recebeu como prêmio uma viagem à Europa. De regresso, estreou na tribuna judiciária. Primeiro, na capital. Depois, no interior, em Jaboticabal. Nos dois casos, conseguiu a absolvição de réus homicidas.

Chegou a ser nomeada Consultora Jurídica do Estado, uma espécie de cargo de honra. Por fim, dela só se sabe que morreu a 28 de setembro de 1961.

Apesar de a história da advocacia marcar a vida de Maria Augusta, seu nome não aparece em nenhum registro da seccional paulista da OAB, pois quando fundada a instituição, em 1932, ela não advogava mais.

Fonte: OAB/SP

categoria: , ,

3 comentários:

  1. Essa informação está incorreta. A primeira mulher na advocacia brasileira foi Myrthes Gomes de Campos. Maria Augusta Saraiva foi a primeira mulher bacharel em Direito no Estado de São Paulo.

    ResponderExcluir
  2. http://pt.wikipedia.org/wiki/Myrthes_Gomes_de_Campos Mythes se graduou um ano após.

    ResponderExcluir
  3. Pelo que entendi do artigo na Wiki, a Myrthes começou a atuar bem depois, em 1906. Enquanto a Augusta teria iniciado em 1902. O que conta? A data da formatura ou da atuação jurídica?

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.