Juiz sueco usa bicicleta e trem para ir à Corte. Presidência do TRF-3 usa carro sueco de luxo

Postado em 8 de abril de 2019 \ 4 comentários

Um juiz do Supremo Tribunal da Suécia pedala diariamente até a estação ferroviária e toma o trem para chegar à Corte, em Estocolmo.

O presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, com sede em São Paulo, tem à disposição um automóvel de luxo sueco (Volvo), com motorista.

Reportagem de Cláudia Wallin, da Rede Bandeirantes, transmitida de Estocolmo, revelou em outubro passado que o magistrado sueco, no topo da carreira, não tem carro oficial, não tem motorista, e nem secretária particular (*).

Não goza de imunidades. Não há foro privilegiado. Os juízes suecos não moram em apartamentos funcionais, não recebem auxílio-moradia e nem auxílio-saúde. Ganham salários entre R$ 12 mil e R$ 25 mil.

No Brasil, o teto salarial do Judiciário é de R$ 28.059,00 –que corresponde ao subsídio dos ministros do Supremo Tribunal Federal.

Os desembargadores do TRF-3 recebem auxílio-alimentação e assistência pré-escolar (até seis anos).

Os magistrados suecos são proibidos de aceitar viagens e presentes.

Segundo a assessoria de imprensa do tribunal, o Volvo S/80 ano 2005 é de uso da presidência do TRF-3. Foi confiscado pela Receita Federal e entregue ao tribunal em 2009. Ou seja, durante a gestão da então presidente Marli Ferreira.

Ainda segundo a assessoria, três veículos Toyota Corolla XEI, ano 2009, adquiridos pelo tribunal, estão a serviço do corpo diretivo (presidente, vice-presidente e corregedor). Ou seja, tendo à disposição dois veículos oficiais, o presidente atual, Newton de Lucca, pode representar o tribunal a bordo de um Volvo ou de um Toyota.

Os 52 veículos de transporte institucional destinam-se aos 43 desembargadores. Alguns ficam na reserva para suprir aqueles que se encontram em manutenção e para transporte de ministros dos tribunais superiores em visita à corte.

Essa frota institucional é formada por 17 GM Vectra SD (ano 2010), 9 veículos Ford Focus (2011) e 26 Peugeot 307 SD (anos 2008 e 2009).

Os juízes federais da primeira instância não têm veículos oficiais à disposição.

Com informações da Folha UOL

categoria: , , , ,

4 comentários:

  1. E por garantir esse privilegio aos juizes brasileiros que o País está quebrado e é por isso que o brasileiro paga tanto imposto.

    UM PAÍS POBRE NAO PODE PAGAR E GARANTIR ESSES PRIVILEGIOS A DESEMBARGADOR, JUIZES, DEPUTADOS, SENADORES, MINISTRO,VEREADOR, ETC....

    E por isso que o barsileiro paga tanto imposto e é por isso que o país est-a quebrado.

    ResponderExcluir
  2. O salário dos juízes é muito maior que o teto. Tem que se verificar a remuneração que não é menor que 40mil reais e a minoria. Ajuda aí!

    ResponderExcluir
  3. Nós precisamos escrever uma NOVA Constituição, essa de 1988 com apenas 31 anos, está totalmente obsoleta. Em se falando de Judiciário, a nossa "CARÍSSIMA E DESACREDITADA CASA DE TOLERÂNCIA E DE FAVORES DENOMINADA S T F, PRECISA SER FECHADA”. Ela nos custará em 2019, aproximadamente R$ 1 bilhão. O país não necessita de QUATRO e nem mesmo TRÊS instâncias recursais. Como disse o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, o juiz/ministro Cezar Peluso, "o Brasil é o ÚNICO país do mundo que tem na verdade quatro instâncias recursais”. Essa casa não atende o povo/cidadão comum, só atende bandidos altamente qualificados e enriquecidos, na maioria dos casos, os nossos nobres políticos. O Brasil está à beira da falência com o tamanho dos gastos com os TRÊS poderes.

    ResponderExcluir
  4. Em compensação na Suíça o maior salario não ultrapassa 4 vezes o valor do salario minimo. No brasil o salario mínimo vale 25% do valor legal constitucional que segundo o DIESE está valendo R$4.277,04.

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.