Fato inusitado: Parecer de promotor manda réu ir se encontrar com 'seu mentor Lúcifer'

Postado por: Editor NJ \ 4 de janeiro de 2017 \ 0 comentários

O parecer, no mínimo, inusitado de um promotor de Alagoas virou assunto em grupo de WhatsApp e nas redes sociais. Nele, José Alves de Oliveira Neto, da 8ª Promotoria de Justiça Criminal de Arapiraca, pede para que o réu “seja promovido e desça ao andar de baixo, junto ao seu mentor Lúcifer”.

O parecer é sobre a ausência das testemunhas e do réu, conhecido como “galego da taquarana”, em uma audiência de instrução e julgamento. Como ninguém apareceu, a sessão não foi realizada. “O réu, um dos criminosos mais perigosos do Nordeste, exímio na arte de praticar crimes, envolvido em crimes a banco, pistolagem e mais um cipoal de condutas criminosas, que nem mesmo naqueles filmes americanos se pode ter paralelo, não era de se esperar compromisso com a justiça”, diz o parecer.





PROMOTORIA DE ALAGOAS/REPRODUÇÃO

Ao final, o promotor faz um desabafo: “Considerando tais fatos, nem peço a prisão, de novo! Vai dar mais despesas, se for pego, colocando-se, ainda, em risco, a vida dos agentes policiais destacados para a sua captura. Vamos rezar para que ele seja promovido e desça ao andar de baixo, junto ao seu mentor Lúcifer”.

O documento é datado de 17 de maio. Logo em seguida, no trâmite do processo, o juiz de Direito Jandir barros Carvalho acatou o parecer do promotor. “Acolho o parecer de representante do Ministério Público e expeça-se ofício à autoridade policial para prosseguir com as diligências requeidas pelo Ministério Público”, afirma o juiz em seu despacho.

Com informações do site Metropoles

categoria:

0 comentários

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.