Mulher é condenada pela morte do marido após testemunho de papagaio

Postado por: Editor NJ \ 28 de julho de 2017 \ 3 comentários

Uma mulher foi condenada pela Justiça americana pela morte do próprio marido. O papagaio da vítima foi o responsável por ajudar a elucidar o crime, que, após o assassinato, passou a repetir frequentemente a frase “Não atire, porra!” (“Don’t fuckin shoot”), enquanto imitava a voz de seu dono.

Martin Duran, de 46 anos, foi encontrado morto com cinco tiros na casa onde morava com a esposa, Glenna Duran, de 49 anos, em maio de 2015. A mulher, no entanto, foi declarada culpada apenas nessa quarta-feira (19), dois anos depois.

No fatídico dia, a mulher chegou a disparar um tiro contra a própria cabeça após matar o marido, mas sobreviveu. Desde então, ela negou a responsabilidade pelo assassinato. O testemunho do papagaio foi usado durante o processo judicial. Segundo os pais da vítima, a ave escutou o casal discutindo e passou a repetir as últimas frases do dono.

Fonte: Jornal de Brasília

categoria:

3 comentários:

  1. Esse papagaio delator teve sorte de não levar um tiro. Seria bom que ele tivesse uns primos brasileiros com informações sobre negociatas do Petrolão.

    ResponderExcluir
  2. Essa matéria só pode está incompleta ou mal escrita, isso não ppde ser verdade e se for, verdade, é um dos maiores absurdos do mundo!

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.