CCJ do Senado aprova troca de preventiva por domiciliar para mães e gestantes

Postado por: EditorNJ \ 22 de março de 2018 \ 0 comentários

A CCJ do Senado aprovou nesta quarta-feira, 21, o PLS 64/18. A proposta visa tornar lei decisão da 2ª turma do STF no julgamento do HC 143.641, que permitiu a troca da prisão preventiva pela domiciliar para mulheres gestantes e mães de recém-nascidos, crianças ou deficientes sob sua guarda.

A matéria é de autoria da senadora Simone Tebet (PMDB/MS) e altera dispositivos da lei de execução penal – lei 7.210/84, da lei 8.072/90 e do CPP para tornar em previsão legal o entendimento já firmado pelo Supremo.

Para a senadora, a separação das mães e dos filhos em virtude do aprisionamento é prejudicial às crianças, e a presença dos filhos na prisão é inviável. "As circunstâncias de confinamento das mulheres presas demandam do poder público ação mais proativa e um tratamento de fato especializado no atendimento de suas necessidades e dos seus filhos, mas o Estado brasileiro é atualmente incapaz de fazê-lo de forma minimamente digna."

Além da previsão relativa à troca de prisão, a proposta ainda acaba com a necessidade de prazos mínimos a serem cumpridos por essas mulheres para a obtenção da progressão de regime. De acordo com relator do projeto na CCJ, o senador Antonio Anastasia (PSDB/MG), a medida vida "promover o bem-estar da criança e da pessoa deficiente cuja mãe ou responsável esteja presa".

Após a aprovação da matéria, que tramitou em caráter terminativo na CCJ, a proposta segue agora para análise na Câmara dos Deputados.

Fonte: Agência Senado

categoria:

0 comentários

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.