Justiça proíbe Detran de reter veículos por falta de pagamento de IPVA

Postado em 15 de abril de 2019 \ 12 comentários

O juiz Sérgio Roberto Emílio Louzada, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, deferiu nesta sexta-feira, dia 9, liminar que proíbe o Departamento de Trânsito do Rio de Janeiro (Detran) de apreender e reter ilegalmente veículos por falta de pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotores (IPVA).

Em caso de desobediência, a liminar determina que o departamento e o governo do estado paguem multa diária de R$ 500,00 por automóvel indevidamente retido, sem prejuízo de sanções, inclusive no âmbito penal.  A ação civil pública foi ajuizada pela 5ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Defesa da Cidadania.

“Se o legislador previu que o Detran-RJ não poderá exigir o pagamento do IPVA para licenciamento anual do veículo e que este não pode ser apreendido em razão do não pagamento deste tributo, não há que se falar em prévia quitação do imposto para retirada do automóvel eventualmente apreendido”, esclarece o juiz Sérgio Louzada.

O magistrado conclui que o Detran não pode impor restrições ou limitações ao direito de propriedade sobre veículos automotores para a cobrança do IPVA, devendo buscar no Judiciário a tutela específica, por meio de execução fiscal, observando o contraditório e ampla defesa. De acordo com Sérgio Louzada, o Ministério Público tem razão quando afirma que o legislador estadual, ao editar a Lei nº. 7.718/2017, desvinculou o licenciamento anual de veículos do prévio pagamento do imposto sobre propriedade de veículos automotores (IPVA).

Fonte: TJRJ

categoria:

12 comentários:

  1. Uma coisa é a lei, outra bem diferente é o seu cumprimento. Tenho um carro retido por falta de pagamento do IPVA na data de 28/07/2015. Foi esquecimento, (estava com problema de saúde, inclusivo fui submetido a uma cirurgia cardíaca) no dia seguinte, 29/07/2018, paguei o IPVA, guincho, diárias etc. Coloquei tudo em dia. No dia 30/07/2018, ao pretender retirar o carro, constatei que o mesmo foi danificado durante a remoção/armazenamento. O responsável pelo depósito, Fórmula Guincho de São Gabriel RS se recusou a relatar os danos no carro. Diante da recusa, fui buscar duas testemunhas para constatar os danos. Quando retornei com as testemunhas, o carro já tinha sido novamente removido e nem se encontra mais no depósito, não se sabe para onde foi levado. Entrei na justiça, inicialmente no JEC (Juizado especial civil) com pedido de liminar. O Juiz não se manifestou até hoje sobre o pedido de liminar, já fazem quase três anos. Tudo que ele fez foi determinar que o processo fosse remetido para a justiça comum e o pagamento das custas, que de imediato paguei. Mesmo assim, até hoje o Juiz não se manifestou sequer sobre o pedido de liminar. No cartório do forum local, 2ª vara, quando perguntei sobre o andamento do processo, o funcionário me disse que a Juiza não tem tempo para ficar atendendo questão que envolve carro velho. O carro é um Mercedes Benz, Classe A 160. Vejam bem, o carro está com toda a documentação em dia, tudo pago, mas mesmo assim permanece "sumido" em algum lugar com o acobertamento do DETRAN/RS e também do judiciário, que não dá andamento ao processo. Registrei inclusive ocorrência policial, pois o carro não está no depósito. A policia disse que não pode investigar o depósito do DETRAN. Então, existe a Lei, mas seu cumprimento só existe contra o cidadão. Quando envolve o Estado, o cidadão se lasca. Hoje estou convencido, se conseguir reaver o carro, vai ser uma sucata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo suas datas nao batem... ainda estamos em março de 2018

      Excluir
    2. infelizmente existem juízes que não estão preparados para serem juízes.

      Excluir
  2. Nação Jurídica, por gentileza, poderia disponibilizar o número desse processo? Grato desde já.

    ResponderExcluir
  3. Não pode apreender o carro, mas sem o IPVA pago, não tem a licença , e não tendo a licença, eles podem reter o carro, não é?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa análise, Alisson! É importante distinguir o IPVA de licenciamento.


      Eu entendo que o não pagamento do licenciamento, o veículo pode ser apreendido, tendo em vista que o o veículo não está licenciado para trafegar. Todavia, no que tange ao IPVA, o não pagamento desse tributo não pode ser motivo para apreender o veículo.

      Eu peço ajuda dos nobres colegas sobre o meu ponto de VISTA.

      Excluir
  4. Isso aí , são as leis brasileira
    E o cidadão que se lasca , sempre foi assim, infelizmente!!!

    ResponderExcluir
  5. VEJAM BEM ESTE EXEMPLO VC TEM Q PAGAR O IPTU DE SUA CASA TODO ANO, CASO NÃO PAGUE ELES TE PROCESSAM E TOMAM AS DEVIDAS PROVIDENCIAS,MAIS NÃO VEM PEGAR A SUA CASA CASO VC ESTEJA EM ATRASO.
    O MESMO SERIA PARA O CARRO TERIAM Q FAZER UM PROCESSO PARA AI SIM PRENDER O CARRO.

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de saber se na prática realmente essa lei será cumprida, pelo que tenho visto isso os carros continuam sendo tomados de seus donos , como se eles fossem bandidos.

    ResponderExcluir
  7. Tive meu carro furtado, o que considero roubado mesmo, se estiver rodando está sem documentos e as autoridades não sabe nada. Mas se vc for à Delegacia todos os dias será mal tratado, porque está incomodando.

    ResponderExcluir
  8. Certíssimo o magistrado em sua decisão, mas só lembrando que normalmente o veículo não é apreendido por falta de pagamento de IPVA e sim por não estar licenciado...dúvidas consultem o Art. 230, V do CTB que diz:
    Conduzir o veículo registrado que não esteja devidamente licenciado.
    Providências do agente:
    Multa e remoção do veículo para o depósito.
    Vlw abraços...

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.