Planalto estuda proibir uso de jeans por servidores e visitantes

Postado em 18 de abril de 2019 \ 0 comentários

O Palácio do Planalto deve publicar nos próximos dias uma normativa que restringe o uso de calça jeans nas dependências do prédio onde despacha o presidente Jair Bolsonaro (PSL). A proibição atingirá servidores e pode ser estendida a visitantes, segundo fontes ouvidas pelo Metrópoles.

Em alguns setores, os gestores já estão cobrando a nova conduta de vestimenta. Segundo funcionários ouvidos pela reportagem, a recomendação é que homens trajem calça social e mulheres, saia ou calça sociais, além de vestidos na altura dos joelhos.

A Secretaria-Geral da Presidência da República explicou que as regras para entrada no órgão podem ser reformuladas, mas não detalhou o motivo da modificação e quando efetivamente elas passariam a valer. “A atualização das normas de acesso ao Palácio do Planalto ainda estão em estudo pelos órgãos competentes”, resumiu, em nota.

Após a publicação da reportagem, a assessoria de comunicação da Secretaria-Geral da Presidência da República entrou em contato com o Metrópoles e informou que “as medidas propostas ainda estão em estudo e que elas podem não entrar em vigor”. O contato telefônico ocorreu por volta das 11h55 dessa quarta-feira (17/04/19).

Nos bastidores, o que se comenta é que as mudanças devem passar pelo crivo do chefe do cerimonial do Palácio do Planalto, o diplomata Carlos Alberto Franco França, que seria simpático à ideia. Ele foi cedido em janeiro pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, para ocupar o cargo.

Mesmo sem a publicação de nenhum documento, alguns funcionários já estão se adequando às novas regras. “Ainda não é uma obrigação, mas como a previsão é que se publique uma normativa, estamos todos nos adaptando”, contou uma servidora comissionada, que pediu para não ter o nome publicado.


Nesta terça-feira (16/04/19), a reportagem ligou para a Coordenação-Geral de Relações Públicas. O setor é o responsável pelo agendamento de visitas ao palácio. Entre as restrições, estão bonés, chinelos, camisetas regatas, qualquer traje curto e peças “não usuais”. Questionada sobre o veto a calças jeans, ela não soube responder se a regra já estava válida.

O dress code do governo

Esse tipo de restrição já existe na Esplanada. No Congresso, por exemplo, é proibida a entrada de pessoas vestindo bermudas, shorts, camisas sem mangas, minissaias e chinelos. Em locais, como a Tribuna de Honra do Plenário do Senado ou o Salão Verde da Câmara, é exigido dos homens o uso de terno e gravata.

Para entrar na Câmara ou no Senado é preciso estar com calça, camisa e sapatos fechados. Para as mulheres recomenda-se calça comprida, camisa com manga, vestido ou saia na altura do joelho.

No Judiciário também existe regra de dress code. No Supremo Tribunal Federal (STF), o cerimonial recomenda aos visitantes que, em sessões de julgamento, os homens usem terno e gravata e as mulheres, vestido, tailleur ou terninho.

As regras para a entrada no gabinete dos ministros do STF variam. Alguns exigem traje social completo. Outros deixam livre a escolha da vestimenta.

Já no Superior Tribunal de Justiça (STJ) não é permitida a entrada com shorts e suas variações, bermudas, camiseta sem manga, miniblusas, minissaias, trajes de banho, de ginástica e chinelos.

Fonte: Metrópoles

categoria:

0 comentários

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.