Advocacia é a 4ª profissão mais estressante do mundo

Postado em 27 de junho de 2019 \ 5 comentários

E o pior é que os colegas são experts em simular controle para evitar o estigma. Enquanto isso, o negócio e a carreira sofrem um impacto silencioso que limita os seus resultados. Para transformar isso, existe apenas um caminho.

Funciona assim, de modo muito simples e direto:

A parte que corresponde a 1% de você tem ciência de que domina (e domina) uma série de competências profissionais: saber protocolar, saber distribuir, saber atender bem os clientes, saber emendar iniciais, saber fazer pesquisas jurisprudenciais, saber falar em público, saber estudar, saber fazer audiências, saber copiar e colar modelos de petições e etc... todavia...

A parte que corresponde a 9% de você tem ciência de que não domina algumas competências, e sabe exatamente que precisa aprender algo para dominar essas competências. Você pode perceber, por exemplo, que não controla:

A captação de clientes, o foco e a disciplina, a competência de dizer não, se expor em vídeos e artigos na internet, abordagem de clientes qualificados, gerir prazos sem stress, fazer parcerias de sucesso, gerenciar ferramentas de controle de processos, como fidelizar o cliente após a contratação, passar em provas e etc...

A má notícia é que a parte remanescente dos problemas, aquela que corresponde a 90% de você, ainda confunde as CAUSAS REAIS dos problemas anteriores, porque se soubéssemos a causa, já teríamos resolvido, assim como aconteceu com as competências dominadas.

A solução para essa parte de pontos cegos que correspondem a 90% da nossa consciência intelectual, emocional e mental está em apenas um caminho: no conhecimento

E no campo do conhecimento, a competência mais importante e a mais negligenciada pelos advogados é o AUTOCONHECIMENTO.

A advocacia não é considerada a 4º profissão mais estressante do mundo à toa. Quem trabalha na advocacia sabe como a profissão é desafiadora.

Prazos fatais; montanha de processos e jurisprudência para serem lidos e estudados; filas para tudo! e o desafio mais difícil de todos, atrair e satisfazer os clientes que a todo momento cobram agilidade e resultado na prestação do serviço.

Entretanto, poucos são os advogados que perceberam o quanto a sua vida pessoal está sendo afetada pela profissão, ou melhor, pela sua gestão na profissão.

O primeiro passo para reverter tudo isso é aprender a se autogerenciar, adotando um estilo de funcionamento focado em autoconhecimento.

Como o próprio nome indica, a autogestão nada mais é do 🎯 você se tornar seu principal gestor, melhorando a eficiência nas suas atividades, se organizando melhor, evitando a procrastinação e o acúmulo de trabalho, gerando mais tempo livre.

🎯Tirar os planos do papel e executá-los, sem se perder com atividades banais, isso sim é atributo típico de quem se conhece de verdade!

Parece sonho, mas não é! Parece talento, mas não é! ISSO É TREINO!

Eu não conheço um profissional sequer que consiga ser produtivo sem treinar a produtividade todos os dias.

Eu mesma, até os 22 anos, era o que eu considero uma “fracassada” que vivia patinando sem resultados efetivos. Era invisível no mercado, ansiosa crônica, hipocondríaca, sociofóbica, e com fortes tendências suicidas.

Eu sentia que precisava de ajuda, mas não investia nisso...No fundo eu esperava que as coisas se resolvessem com o tempo, e acreditava que algo diferente fosse acontecer para me tirar daquela situação.

Mas esse algo nunca aconteceu. Uma hora eu tive que acordar e decidir gerenciar a parte que me cabia no caos que eu havia criado.

Foi esse ponto de virada, a adoção de praticas de autogestão, que me permitiu atrair milhares de clientes, a falar em público para outros milhares de advogados, para ser lida por outros milhares (incluindo você agora), a superar a morte do meu pai, a superar o medo de dirigir após um acidente de moto, a ser mãe solteira depois de um divórcio traumático, a lidar com várias cirurgias de risco, superar uma depressão suicida, ao mesmo tempo em que eu era convidada para entrevistas, premiações, lançamento de livros, ministração de cursos em OABs, Faculdades e Empresas, e ser considerada uma referência no meu mercado.

A vida não espera a gente achar que está pronto, essa é a verdade, e por ter entendido isso que hoje eu sou capaz de experimentar resultados efetivos.

E ainda não é fácil, é simples, mas não é fácil. É simples porque eu já criei a trilha com a minha experiência, mas não é facil porque eu tenho que refazer o caminho todos os dias.

categoria:

5 comentários:

  1. E quais são as outras profissões mais estressantes?

    ResponderExcluir
  2. Achei interessante, porém superficial. Talvez possa considerar mais como uma provocação, um chamamento à reflexão, do que propriamente um artigo. Alguns relatos, ainda que breves, sobre como foram suplantadas as barreiras seria de grande utilidade. De qualquer modo, o assunto veio de forma original. Resta a curiosidade de saber quais as três profissões mais estressantes.

    ResponderExcluir
  3. A advocacia é a 4a profissão mais estressante do mundo. Concordo.

    ResponderExcluir
  4. A advocacia é a 4a profissão mais estressante do mundo . Concordo plenamente

    ResponderExcluir

-------------------------------------------------------------------------
É um prazer receber seu comentário e ter sua participação.
Repasse a seus amigos e convide-os a opinar também.