Juíza nega exame de insanidade a homem que arrancou o coração da tia

12/08/2019 09h19

Lumar Costa da Silva, de 28 anos, acusado de matar a tia, arrancar seu coração e entregar para a filha dela, vai responder pelo crime na justiça.

No dia 5 de agosto, a juíza Emanuelle Chiaradia Navarro, da Primeira Vara Criminal de Sorriso (420 km de Cuiabá), aceitou denúncia do Ministério Público Estadual.

Ao ofertar a denúncia, no dia 1º de agosto, a promotora Maisa Fidelis Gonçalves Pyrâmides pediu a condenação por homicídio quadruplamente qualificado. Ela considerou que Lumar cometeu o crime de feminicídio por motivo fútil, meio cruel e utilizando recurso que dificultou a defesa da vítima.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

A juíza aceitou a denúncia e ainda indeferiu um pedido da Defensoria Pública que pleiteava, mais uma vez, a instauração de insanidade mental e internação provisória de Lumar.

A Defensoria alegou que as declarações do pai do acusado e acontecimentos após sua prisão deixam “sérias dúvidas acerca da integridade mental do acusado”. Isso porque, preso, ele tentou enforcar um colega de cela.

No entanto, a juíza considerou que Lumar aparentava lucidez quando passou por audiência de custódia. Observou ainda que, no decorrer do processo, se a Justiça achar necessário, poderá pedir o exame.

Atualmente Lumar está preso na Penitenciária de Sinop, o “Ferrugem”. Ele foi transferido de Sorriso com urgência no dia 15 de julho, por determinação do juiz Anderson Candiotto, que manteve a prisão do acusado.

Fonte: Google

Anuncie na Nação Jurírica

Faça com que sua marca seja vista por toda a nossa Nação!